sábado, 25 de setembro de 2010

REFLETINDO SOBRE A ESCRITA





Refletindo sobre a escrita é de fato um tema de suma importância, pois, todos os comentaristas que abordam acerca deste assunto ora pesquisado trás algo em comum. Pelo fato de mostrarem a riqueza que a escrita representa, não somente para o aluno, mas outrossim, para toda a humanidade, é portanto,  um privilegio para os que participam e valoriza esta  riqueza   que nos trás o conhecimento. Pois, é difícil um bom leitor ser manobrado pelas façanhas da vida, isto porque conhece e sabe o que quer.  Alcançou esta dádiva através da escrita que foi capaz de convencê-lo mediante a leitura.
A escrita é a expressão que vem trazendo reflexo do sentimento. Mas é através da liberdade que brota a força da expressão para escrita, e produz diálogo interior.  A escrita torna-se vazia sem expressão, quando não existe sentimento. É preciso ter paixão pela escrita para que a mesma demonstre o seu real valor e venha convencer o leitor, a ponto de sentir prazer, e mergulhar neste oceano de riquezas. 
Não é apenas uma conjectura. Mas Os maiores escritores, automaticamente são de fato os melhores leitores, ler e aprender interpretar.  Pois, para criar, é preciso aprender a produzir textos feitos por outros, mas, só torna possível, quando temos paixão pela leitura, lemos, e relemos, pesquisamos e analisamos. Vários livros de diferentes autores, revistas, jornais, apostilas, dicionários, internet, e etc. Estudar de fato acerca do tema e conteúdo. A partir de então já convencido, vem o momento mágico da escrita. Para imaginar, pensar e, após criar tendo assim maior probabilidade de convencer outros de uma forma eficaz. Pois, o bom leitor conhece a escrita e não é fácil de ser manipulado por caricaturas e palavras vazias. É preciso ter argumento para convencê-lo. Mas, sabemos que tudo na vida tem seu preço. Principalmente no que refere a aprendizagem, é preciso exercitar a mente. Para que ela possa produzir. Márcia Regina Pires quando fala acerca da escrita deixa bem claro um exemplo que uma pessoa sedentária quando começam a fazer exercícios de abdominais, as primeiras dez tentativas são muito sofridas, doloridas e não chegam a ser executadas  como deveriam. Mas se a pessoa continua insistindo neste propósito em pouco tempo começará a sentir prazer. Assim é a leitura  e a escrita no inicio é natural  sentir cansaço, desanimo, e vontade de parar, mas, continuar insistindo neste alvo vem o prazer de prosseguir com muito mais afinco e desvelo, principalmente porque é uma conquista pessoal. 
         A escola não é um estacionamento, mas, um ponto de partida. O aluno aprende a aprender, a pesquisar, a buscar. Pois, nem sempre a escola trás no seu pulso habilidade e competência para sanar as dificuldades existentes a fim de diagnosticar o real sintoma da problemática. Então cabe ao aluno que é o maior interessado, de  ir a busca de aprendizagem. Assim é a escrita sempre no caminho do aperfeiçoamento.
Os escritores tornam-se conhecidos pelo nome e até intimo de seus leitores, através dos conteúdos que os mesmos apresentam em seus escritos.  Pois, a  escrita tem a força de atravessar fronteiras e sempre conquistar novos horizontes, quando a mesma contem conteúdo plausível cujos temas chamativos, nasce a idéia de continuar com novas idéias

           A escrita representa a necessidade de pesquisar, buscar idéias de vários comentaristas e após formar uma idéia pessoal acerca deste tema; “refletindo sobre a escrita”, pois, o próprio tema responde o que representa a escrita, que é a reflexão.  Este é o ponto de partida, “refletir” existe um longo caminho, livros, jornais, revistas, internet, enfim, uma gama de materiais didático para pesquisar. No meio de tudo isto nasce a reflexão para que a escrita seja reproduzida, ou produzida, então vem a escrita de uma forma correta, convincente e atraente. O próprio autor precisa ser o primeiro a ter esta concepção de que realmente a escrita trás conteúdo que vale a pena parar pra ler.
         A escrita  trás vida a leitura e ao  conhecimento




Vôo
Alheias e nossas as palavras voam.
Bando de borboletas multicores, as palavras voam
Bando azul de andorinhas, bando de gaivotas brancas, as palavras voam.
Viam as palavras como águias imensas.
Como escuros morcegos como negros abutres, as palavras voam.
Oh! alto e baixo em círculos e retas acima de nós, em
redor de nós as palavras voam.
E às vezes pousam.
(Cecília Meireles


INCLUSÃO UMA PERFEITA SOLUÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO



Kaspar Hauser
Memorial no local do atentado contra Kaspar Hauser nos jardins do Castelo de Ansbach.
Hauser passou os primeiros anos de sua vida aprisionado numa cela, não tendo contacto verbal com nenhuma outra pessoa, fato esse que o impediu de adquirir uma língua. Porém, logo lhe foram ensinadas as primeiras palavras, e com o seu posterior contacto com a sociedade, ele pôde paulatinamente aprender a falar, da mesma maneira que uma criança o faz. Afinal, ele havia sido destituído somente de uma língua, que é um produto social da faculdade de linguagem, não da própria faculdade em si.
A exclusão social de que foi vítima não o privou apenas da fala, mas de uma série de conceitos e raciocínios, o que fazia, por exemplo, que Hauser não conseguisse diferenciar sonhos de realidade durante o período em que passou aprisionado. Hauser, supostamente com quinze anos de idade, foi deixado em uma praça pública de Nuremberg, em 26 de maio de 1828, com apenas uma carta endereçada a um capitão da cidade, explicando parte de sua história, um pequeno livro de orações, entre outros itens que indicavam que ele provavelmente pertencia a uma família da nobreza.
Entre as idiossincrasias originadas pelos seus anos de solidão, Hauser odiava comer carne e beber álcool, já que aparentemente havia sido alimentado basicamente por pão e água. Aprendeu a falar, a ler e a se comportar, e a sua fama correu a Europa, tendo ficado conhecido à época, como o "filho da Europa". Obteve um desenvolvimento do lado direito do cérebro notoriamente maior que o do esquerdo, o que teoricamente lhe proporcionou avanços consideráveis no campo da música.
Hauser foi assassinado com uma facada no peito, em Dezembro de 1833, nos jardins do palácio de Ansbach. As circunstâncias e motivações ou autoria do crime jamais foram esclarecidas, apesar da recompensa de 10.000 Gulden (c. 180.000,00 Euros) oferecida pelo rei Luís I da Baviera.
A sua história foi representada no filme de Werner Herzog, "Jeder für sich und Gott gegen alle" (em língua portuguesa, "Cada um por si e Deus contra todos"), de 1974, lançado em Portugal com o título "O Enigma de Kaspar Hauser". Kaspar Hauser escreveu, em fevereiro de 1829, uma autobiografia que pode ser lida em português no site:http://www.kasparbio.blogspot.com/

Infelizmente há muiitos deficientes mentais que muitas vezes são excluídos da sua própria casa. E também deu vários exemplos de inclusão.

O caso de Vitor que foi o primeiro menino a entrar na história da educação inclusiva. (Vitor foi encontrado na Floresta. O livro “educação do homem selvagem. Eu fiquei emocionada e profundamente entusiasmada com os exemplos e teorias abordadas. É um mundo muito diferente do nosso, mas que vale a pena conhecer, principalmente porque estas pessoas  tem muito o que nos ensinar além de aprender.


sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Visão comportamentalista da aprendizagem



SKINNER
Skinner propõe uma forma de punição que ele considera passiva que é a simples ausência de reforço sem nenhum estimulo aversivo especial, isto é a criança pode extinguir um comportamento indesejável se o adulto simplesmente deixar de lhe dar atenção nessas ocasiões.
A teoria do comportamento é um fato visualmente percebido na atividade educacional, pois ela, se reflete em todas as formas humana na nossa mente no campo psicológicos que influenciam no aprendizado do aluno no campo educacional através da educação do comportamento, nos podemos deslumbrar com o mundo um intenso campo de formas do comportamento, a forma de pensar, de agir, o meio como nos andamos, a maneira como nos percebemos a maneira que nós recebemos instrução na mente e revertemos ela na nossa forma de agir, pois o nosso comportamento esta ligada a tudo que nós fazemos, maneiras como nós podemos expressar um grande número de dados acumulados na mente, especialmente no campo psicológico que nos dará direção a tudo que nós podemos executar diante daquilo que nós apreendemos e reformaremos de uma forma prática este comportamento é traduzido de várias formas no nosso intelecto, forma de viver da nossa forma de passarmos o nosso aprendizado na maneira que buscaremos um aprofundamento de um conhecimento profundo para conciliar aprendizagem, razão lógica, e uma forma construtiva e linear para todas as maneiras de receber e repassar toda a gama de conhecimento que estão estocados no campo da mente.
Essa linha behaviorismo de estudo é radical designa uma filosofia da ciência do comportamento por meio da analise experimental do comportamental esta na formulação do comportamento operante introduzido as noções de comportamento reflexivo ou correspondente para então chegar ao comportamento operante.
O comportamento respondente é o que chamamos de não voluntário, incluem respostas que são eliciadas por estímulos a antecedente do ambiente contração de pupila quando uma luz forte incide sobre os olhos, a salivação provocada sobre uma gota de limão colocada sobre a ponta da língua, o arrepio da pele quando o ar frio nos atinge as famosas lagrimas de cebola.
Comportamento operante abrange atividade humana em beber ao balbuciar o agarrar de objetos, olhar os enfeites do berço, são movimentos de um organismo que se possa dizer em algum momento que existe um efeito de algo forte  ao seu redor.
Reforcamento, toda conseqüência é seguido de uma resposta tendo a probabilidade futura desta resposta o reforço pode ser negativo ou positivo, positivo é todo evento que aumenta a probabilidade de fura resposta que produz e o negativo é todo evento que aumenta a probabilidade futura da resposta que o remove ou diminui.
Extinção é um procedimento na gual uma resposta deixa abruptamente de ser reforçado.
Punição é o procedimento que envolve a conseguenciação de uma resposta quando a apresentação de um estimula aversivo ou remoção de um reforçador positivo presente. Propõe-se a substutição definitivas das práticas punitivas por procedimento de instalação e comportamentos desejáveis.
Controle de estímulos permite maior entendimento dos meios pelas quais os estímulos agem. Descriminação de estímulos quando uma resposta se mantêm na presença de um estimulo mas sofre certo grau de extinção na presença do outro, nós somos capazes de discriminarmos estes diferentes estímulos nos comportamentos de maneira diferente em cada situação.
Generalização estimula sofrem, estímulos que adquirem controle sobre respostas ao qual reforço na presença de estímulos premiares, mas diferentes, depende de elementos comuns  a dois ou mais estímulos.
Aplicação pode nos auxiliar a descrever nosso comportamento em qualquer situação ajudando nos a modifica-los.  ISTO DEPENDEM DE NÓS.





quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Professora sim, tia não

EDUCAR É TUDO 
DE BOM!
 
 
Professora sim, tia não.

Paulo Freire deixou muitas lições importantíssimas para os mestres, e os que desejam ser, É necessário aprender de tudo um pouco, nunca acreditando que já sabemos de tudo ou que estamos fazendo tudo certo. A vida é uma escola de muitas histórias e muitas páginas também...


                              
Paulo Freire, uma personalidade extraordinária, viveu na integra uma paixão incessante pelo ensino, neste livro, Professora sim, tia não cartas a quem ousa ensinar, ele mergulha em seus sentimentos quando transmite ao professor a responsabilidade desta grande tarefa que exige tanto do professor, deixa claro que não basta transmitir conhecimentos, mesma que esta transmissão seja de uma forma plausível, com afinco e desvelo, é preciso ter amor pelo que faz, sentir paixão, não esta paixão passageira, que qualquer vendaval é motivo para recuar, mas uma paixão ardente capaz de doar o melhor de si. Sabendo que a professora que se presa vai além de tia, pois, ela que esta presente diariamente, acompanhando o crescimento gradativo do aluno, além de ama-la, está pronta para ensinar, enquanto a tia ama, mas às vezes ausente e distante.

  Vejamos as palavras proferidas por Paulo Freire, Ensinar é exigir tanto de si quanto de quem aprende, por isso não pode ser feito de qualquer maneira, requer responsabilidade social. E é por isso que é preciso manter  uma programação com constante avaliação. Além disso, há os pacotes fechados, prontos, que, quando em contato com a realidade contextual de cada lugar, desaparecem ou formam deformando. Justamente aí se apresenta o autoritarismo como suporte às “Tias” para terminar o dia, a tarefa.


O texto, "embora simples", tem a intenção de mostrar a tarefa do ensinante que é também a de ser aprendiz. O professor é um eterno aprendiz  sempre aberto para receber novos conhecimentos, ou melhor, o bom mestre é aquele que esta sempre atento para receber, sempre tirando proveito de todas as oportunidades que a vida lhe proporcionam,  tirar uma lição de cada acontecimento.
Segundo Freire é preciso ousadia ao próprio fato de se fazer professor, educador, que se vê responsável profissionalmente pela formação permanente. Nesse sentido, não se quer desmoralizar ou desvalorizar a figura da tia, mas questionar a desvalorização profissional, que vem acontecendo há décadas, de transformar a professora num parente postiço. deixando de lado prioridades. É possível ser tia sem amar os sobrinhos, sem gostar sequer de ser tia, mas não é possível ser professora sem amar os alunos, mesmo que amar, só, não basta, não é o suficiente o sucesso do professor depende do seu desempenho, e para desempenhar bem é preciso amar o que faz e para quem. Portanto, talento, conhecimento, dedicação, reciclagem, dinamismo, perseverança, tudo isto andam juntos, mas, porem, o amor pelo que faz é a verdadeira essência para o sucesso acadêmico.








terça-feira, 21 de setembro de 2010

SUGESTÃO DE FILME: A ESCOLA DA VIDA

FILME: A ESCOLA DA VIDA

Abordo duas cenas, onde fiquei emocionada com o amor e dedicação de  Ryan Reynolds  para com seus alunos. Um homem  que causou   um verdadeiro impacto  na escola Fallbrook Midle School, ele é atraente, simpático e informal, os alunos amaram verdadeiramente este  professor, os professores também o admiram, com exceção de Matt o professor de biologia, que sonha em ganhar o prêmio de professor do ano, O pai de Warner , Stormin Norman foi o professor do ano durante 43 anos, faleceu em seus braços dizendo: não morra na praia, lute. A partir de então Warner determinado a  fazer deste o seu ano, a sua virtória. Mas  com o novo professor em cena ele vê sua chance escapar, ele não consegue competir com quem até o seu filho admira.  Um professor que veio fazer a diferença,  com sua criatividade e disposição para fazer o melhor de si.


CENA:  :
* O discurso do professor

Quanto tempo temos? Não muito!  Este foi o lema principal do seu discurso. O professor Ryan Reynolds fez com que cada um dos seus alunos descobrisse o potencial que estava esquecido a tempo dentro de cada  um. Mostrou que a vida é cheia de altos e baixos, mas que vale a pena viver cada segundo como um verdadeiro milagre. E que sempre é possível encontrar beleza mesmo nas dificuldades. Mostrou claramente que as pessoas são seres humanos e o que as define não é o dinheiro no bolso, a casa na praia, o carro do ano, as roupas da moda ou o corpo escultural. É o caráter, a dignidade, as crenças, os SONHOS, os objetivos, os sentimentos, os pensamentos, os ideais, tudo isto precisa ser primazia para viver de verdade..


CENA: 2

* Metodologia de ensino

O professor procura tão somente apresentar uma metodologia mais dinâmica que busca atrair a atenção dos alunos, utilizando aquilo que eles já estavam acostumados em seu dia-a-dia para construir novos conhecimentos. Trazendo cada vez mais participação dos mesmos.

Fatores fundamentais que devem esta presente na vida do educador

·        Dedicação
·        Persistência

O professor Ryan Reynolds, sabia perfeitamente que estava sendo seguido e perseguido pelo professor Warner, mas isto não foi motivo para abandonar as suas idéias,  e objetivos. Ele continuou com a mesma dedicação e persistência motivado pelo amor que sentia pelos seus alunos e paixão pelo ensino. Infelizmente muitas vezes nós educadores desistimos diante das lutas e dificuldades que encontramos no caminho. Reynolds tinha tudo para desistir, pra começar a sua saúde abalada, estava com câncer . Reynolds partiu Mas deixou um grande legado. Alcançou o seu alvo, trouxe aos alunos o desejo de aprender, e aos professores o prazer de ensinar. 

Reflexão:

O filme escola da vida nos trás uma grande reflexão: É importante e necessário buscar meios para tornar o ensino mais agradável e produtivo,  levando o aluno a ser um produtor e construtor de conhecimentos e não reprodutor, ou simplesmente uma marionete nas mãos dos professores. Mas que caminhe e que seja capaz de fazer caminhos para um futuro brilhante. Mas para que isto ocorra é necessário, que o professor sinta na pele a condição de aluno e busque tudo que for preciso para que alcance a sua meta de ensino. Levar o aluno alem da sala de aula, do papel e caneta nas mãos. Mas sim, leva-lo a pensar, a pesquisar, sentir, cheirar, pegar, enfim, coloca-lo em prática para que a aula seja produtiva e agradável.


segunda-feira, 20 de setembro de 2010

FILME: A ESPERA DE UM MILAGRE

Sugiro este filme:  “A espera de um milagre 
 
1.     Duas cenas que mais tocou a minha sensibilidade  
No ano de  1935, no corredor da morte de ama prisão da ouisiana, conta a história da relação entre Paul Edgecomb, o chefe de guarda da prisão, e um de seus prisioneiros, John Coffey.
1ª Cena: amizade inexperada  de Paul Edgecomb e John Coffey.  Durante anos, Edgecomb anda por esses corredores  acompanhando um grande numero de presos. Mas nunca antes conhecera alguém como John Coffey, um negro enorme condenado por ter matado brutalmente duas gêmeas de nove anos. Mas, porem, o tamanho e aparência de Coffe impediam que as pessoas vissem a grandeza e bondade de seu coração. Além de sua natureza simples e ingênua e um medol do escuro, o preso possuia um Don sobrenatural. Através deste don foi capaz de ressuscitar um rato só pra não ver o prisioneiro ao lado (dono do rato) chorando. Com este mesmo don Curou o próprio Edgecomb que tinha uma forte infecção urinária  que lhe causava muitas dores curou também a esposa do amigo Edgecomb que estava com cancer terminal.  Enfim, um homem diferente, extrarordinário, e4stava ali fazendo e esperando a sua sentença no corredor da morte. Edgecomb começa a questionar como pode? Eu não acredito! Um homem como Coffe ser o culpado do assassinato das duas meninas gêmeas.
2º  Momento da execução: não contive as lágrimas:
Coffe sendo levado para a cadeira eletrica, não estava chorando, mas sorrindo dizendo que brevemente estaria melhor.
Ao chegar até  a cadeira antes  da execução o chefe perguntou a ele, se tinha algo para dizer a todos os presentes. Ele apenas disse: Desculpe-me por ser o que sou. Um dos soudados que estava apertando os cintos na cadeira não conseguiu controlar suas lagrimas, ao ver um homem bom ser condenado sem direito de defesa.
VALORES:
Não julgar pelas aparências

Coffe, foi julgado a morte, pelo crime de duas crianças gêmeas, que foram encontradas mortas no seu colo, uma em cada braço, Coffe gritou, chorou muito e disse apenas: não pude evitar. Aparentemente ele foi pego em flagrante. E agora preso esperando a sentença, julgado a cadeira eletrica. Não tinha ninguem para defende-lo, apenas ele e Deus sabia quem praticou tamanha astrocidade.  Quem julgou Coffe? o preconceito, e a discriminação que sempre esteve presente no coração das pess

   Amar o próximo mesmo quando o mundo esta contra
pau Edgecomb  um guarda de prisão que desenvolve um relacionamento   incomum e comovente com um preso que possui um dom ao mesmo tempo mágico, misterioso e miraculoso. Naquela prisão estava também vários outros condenados a morte, cada um com seu diagnóstico na sentença prescrita. Mas, porem todos tinha o amor e respeito por Paul. Ele demonstrava amor  incondicional por cada detento. Trazendo sempre uma palavra de animo.

 3º  valorizar o don e potencial de cada um John Coffey um homem dotado de um don sobrenatural incapaz de ser visto por aqueles que não encherga alem das aparencias. Este don foi despertado no momento de angustia e dor. No corredor da morte Coffey  esta esperando a sua sentença, foi condenado e julgado a morrer na cadeira eletrica. Paul Edgecomb viu em Coffey um homem diferente, alem de simples, humilde, tinha um coração enorme e o don de realizar milagres. Paul achava desperdicio um homem como Coffey em uma cela trancada apenas esperando a morte chegar. Num momento do filme ele diz, "a que irei falar para Deus quando encontrá-lo no julgamento final, que matei um de seus milagres?'. Ele ofereceu a Coffey a “liberdade” mas Coffey não quis, não desse geito, fugindo pelos fundos as escondidas. Mas mesmo assim  ele teve o privilegio de ser levado por por  Paul Edgecomb e mais dois soldados até a casa de  Selina, uma mulher com câncer terminal Coffey foi até o seu quarto e através do seu don o curou desta enfermidade. Muitas vezes em nossas escolas, faculdades deparamos com pessoas que aparentemente não mostra o seu potencial, o seu real valor, e nós o julgamos pelo que vemos, sem saber que com as nossas atitudes estamos matando um milagre de Deus.

4.     Com um olhar cinematográfico pude ampliar e enriquecer o meu olhar sobre a educação e sobre o processo escolar. Com base no filme assistido, ressalto e explico um aspecto que me levou a um olhar mais detalhado sobre a Educação ou sobre a sala de aula.

Paul Edgecomb  se destacou como um verdadeiro líder, alcançou o respeito dos detentos não através de sua autoridade na posição de chefe de guarda, mas sim, simplicidade, humildade, respeito, e principalmente amor ao próximo. Infelizmente nem sempre contamos com isto em nossas escolas, as vezes as nossas crianças são marginalizadas, discriminadas através de um olhar ou até mesmo uma palavra. Vejo isto como pessoas fora do lugar, ou seja, não tem vocação, amor pela profissão que escolheu esta ali por conveniência ou falta de opção.  Enquanto isto as crianças crescem em um ambiente pesado, sem amor, afeto, compreensão, e respeito. Mas ainda contamos com aqueles que estão ali porque amam o que faz, é isto que mantem as nossas crianças de pé e animadas a prosseguirem os seus estudos.

sábado, 18 de setembro de 2010

O ser humano cresce num ambiente social e a interação com outras pessoas é essencial o seu desenvolvimento


O ser humano ao nascer trás consigo a necessidade de envolver-se num ambiente social, e conseqüentemente o seu desenvolvimento é notável pois, ao interagir com outras pessoas de diferentes níveis social, intelectual ou cultural a tendência é crescer,
A convivência com outras pessoas. Interação entre alunos, a ajuda mútua, as discussões, dúvidas expostas são estes e outros fatores fundamentais para que a criança  e desenvolva-se. Ela jamais aprenderia falar convivendo com surdos, socializar-se convivendo com animais. É através da aprendizagem que o individuo recebe informações, habilidades, atitudes, valores, e etc. Enfim, o meio favorece ou não o desenvolvimento. Ou seja, não há desenvolvimento se o ambiente ou a situação não são favoráveis para o aprendizado. Portanto levamos em consideração esta frase tão corriqueira; “O homem é produto do meio”.  Seu desenvolvimento é social e não individual
É fundamental analisamos o individuo que vive num grupo cultural isolado da civilização, e da palavra escrita, jamais será alfabetizado.  Torna-se cada vez mais desnutrido de qualquer desenvolvimento. Mas se este deixasse este grupo de origem e embarcasse em um outro grupo que seja letrado ai sim, terá a probabilidade de ser alfabetizado e ter um encontro real com os livros, mas esta conquista depende da mediação de outro mais experiente.
Segundo João Alfredo Carrara, Coordenador da Educação Infantil e do Ensino Fundamental e Professor do Curso de Especialização em Educação Escolar. Bauru/SP; “O homem só consegue ser homem vivendo em sociedade”. Observamos o caso das meninas lobo da índia, não sorria, andavam como quadrúpede uivava, então, “o homem isolado não pode” criar a sociedade, mas a sociedade pode criar o homem que seja capaz de desenvolver-se, consciente que a interação entre outras pessoas é fundamental para o seu desenvolvimento, mesmo que profissionalmente já esteja realizada, a interação sempre é viável e oportuno, pois a oportunidade da aprendizagem esta sempre presente.



quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Wygotsky apresenta a relação entre processo de desenvolvimento biologico e aprendizagem.


Para Vygotsky, a vida em sociedade é de suma importância  para a transformação do homem biológico em ser humano. É pela aprendizagem nas relações com os outros que construímos os saberes que trás nosso desenvolvimento mental e  Intelectual.
Vygotsky dividiu os níveis de desenvolvimento da seguinte forma:
desenvolvimento real: é o já adquirido ou completado (a criança faz sozinha, não precisando de auxilio de outras pessoas). desenvolvimento potencial: é a capacidade de aprender com ajuda de outra pessoa.

A relação entre aprendizagem e desenvolvimento é baseada em princípios interacionistas. Segundo o conceito de zona de desenvolvimento proximal ZDP consiste na “distância que medeia entre o nível atual de desenvolvimento a da criança, determinado pela sua capacidade atual” de resolver problemas individualmente e o nível de desenvolvimento potencial, determinado através da resolução de problemas sob a orientação de adultos ou em colaboração com os pares  mais capazes” (http://www.uma.pt/carlosfino/Documentos/Powerpoint_Vygotsky.pdf
Segundo a teoria Vygotskyniana o papel da cultura para a constituição do indivíduo: transforma o homem de apenas ser biológico para também ser sócio-histórico, num processo em que a cultura torna-se parte essencial da constituição da natureza humana. Valoriza o ambiente sócio-cultural em que encontramos inseridos e situa a aprendizagem nas inter-relações: família escola e amigos que são os Impulsionadores do desenvolvimento. Pois, a criança nasce biologicamente e socialmente, ao nascer já esta inserida em um grupo cultural e lingüística e isto é fundamental para o processo de seu desenvolvimento.
Vygotsky deixa claro que não é o desenvolvimento que precede torna possível a aprendizagem, mas é a aprendizagem que antecede possibilita e impulsiona o desenvolvimento. Ou seja, é a aprendizagem que possibilita o despertar de processos internos de desenvolvimentos. Ele nos alerta a considerar não apenas o nível de desenvolvimento da criança, mas como também o nível de desenvolvimento potencial, ou seja, a capacidade de desempenhar tarefa com ajuda de adultos ou companheiros mais capazes, há tarefa que a criança não consegue desempenhar sozinha, mas através da instrução ela é capaz. Pois, a criança é dotada de uma nata potencialidade, não nasce sabendo, mas a aprendizagem esta presente desde o início da vida, com o desenvolvimento potencial, que vai progredindindo a cada dia através da ajuda de outros. Sozinha ela jamais aprenderá nem mesmo amarrar um sapato. Portanto a interferência de outros principalmente do professor na aquisição da aprendizagem é de suma importância para o desenvolvimento da criança.


A concepção de infância

 

Apenas imagine a imagem



Querido leitor(ra)  imagine  a sua  esquerda duas crianças sentadas, ambas estão tristes observando o tempo passar, super quietas, enquanto a imagem a direita uma criança esta jogando bola, com muita liberdade e alegria.
Esta primeira imagem vista por você, demonstra a realidade das crianças que vivem praticamente presas, sem nenhum direito ou privilegio de ser criança. Nada pode, tudo é proibido, se brincar de bola poderá sujar-se, ou até mesmo cair e se machucar, vivendo em uma redonda, proteção exagerada, medo de tudo e de todos por causa dos limites que lhe são impostos. Crianças assim não vivem a sua infância, quando cresce, não tem recordações, que valesse a pena lembrar-se, apenas marcas de uma infância que não viveu tornando assim um adulto seco, e até mesmo vazio por causa da alegria e dos prazeres que deixou de viver quando criança.
Enquanto a segunda imagem imaginada  por você,  mostra uma realidade diferente, a criança vive o seu momento mágico, aproveitando com muita garra e determinação os prazeres que a vida lhe proporciona, não se importando se irá cair ou se sujar, o importante mesmo é brincar até cansar.
A criança precisa de limites, pois isto faz parte da formação do seu caráter, limites estes que não venha contrapor o seu direito de ser criança, pois criança para crescer saudável e feliz é necessário viver este momento tão especial e passageiro, refiro o direito de ter o seu espaço; de brincar, se soltar, gritar, pular, correr, direito de se se sentir livre, criança não pode vestir-se como adulto, sentar-se como adulto e ficar quieta e calada por muito tempo. Criança não pode ser presa na gaiola como um passarinho, nem mesmo repetir palavras como um papagaio, falar apenas aquilo que lhe foi passado. Criança tem alma, tem sentimento, precisa ser amada e respeitada. Criança precisa viver, um dia de cada vez, para que no futuro venha dizer valeu a pena a minha infância. Faço das palavras da Professora Fernanda as minhas: criança é criança

A obra de Rosseau, denominada Emilio ou da Educação

A obra de Rosseau, denominada Emilio ou da Educação
 O que o autor entende por:
 Criança / Aprendizagem / Relação: Professor-Aluno



O autor ao escrever este livro apresenta uma proposta de uma educação não fixa aos outros manuais que já foram escritos, mas torna-se um visionário sobre a educação colocando razões para um novo método. O autor indica que um homem ainda em sua faze infantil abandonada a si mesmo, ou seja, sem estimulo e motivação pode tornar-se o mais desfigurado de todos, por isso que é necessário que a mãe cultive e regue a planta ainda jovem, pois esta planta só vai florescer se a cultura que for aplicado para o seu crescimento tornar-se produtivo. Nenhum ser nasce pronto, é fraco, possui debilidades precisando ser construído através de uma assistência continua que tenha por objetivo uma formação que una a teoria a prática, a fim de que a sua  educação venha tornar-se capaz, forte, instruído e competente. O desenvolvimento interno de nossas faculdades e de nossos órgãos é a educação da natureza, o uso que nos ensina a fazer desse desenvolvimento é a educação dos homens, e a aquisição de nossa própria experiência sobre os objetos que nos afetam é a educação das coisas, sendo assim existem  três tipos de mestre educativos, são eles; a natureza, o homem e o objeto.
Quando mencionamos a natureza como educadora estamos mencionado sobre hábitos atitudes naturais desenvolvidas no ser humano, existem hábitos que são naturais tornando-se partes do ser, se a educação tornar-se um habito este homem jamais deixará de possuir uma postura de um ser humano educado e competente. As deposições das quais estamos falando se constrói desenvolve-se a partir do momento que nós deixamos ser construídos por hábitos geradores de uma cosmovisão pedagógica. Para que um homem torna-se referencia em alguma coisa sendo se mesmo e demonstrando em sua peculiaridade uma grande capacidade, não precisa ser um prodígio, mas um homem disciplinado e que por suas metas e objetivos para uma educação que o torne quem ele almeja ser. Na ordem social todos os postos são marcados, cada um deve ser educado para o seu. Se um particular formado para o seu posto venha deixá-lo já não serve para nada. A educação só é útil a partir do retorno que ela irá trazer para o aluno para os pais e a sociedade, na ordem natural todos somos iguais, a vocação comum é a condição do homem e quem quer que seja bem educado não pode preencher mal as outras relacionadas com ela. A condição humana que se relaciona com as influencia sociais buscam sempre uma educação de retorno, muitas vezes imediato. Muitas das vezes pensamos como pais em só conservar o filho, mas isto não é o suficiente para as realidades da vida que lhe aguarda,
As mães que deixam os seus filhos serem educados por suas babás estão impedindo o verdadeiro desenvolvimento entre o relacionamento de ordem genética aonde a identificação da criança com sua mãe trará resultados mais produtivos do que a educação construída por uma babá, alem de esta tirando a oportunidade privilegiada do calor materno, trará também serias conseqüências e muitas vezes irreparáveis  Por isso é preciso o afeto materno para uma educação de resultados no futuro de uma criança porem, os cuidados de uma mãe, uma mulher os exagera quando faz de seu filho seu ídolo aumentando e alimentando sua fraqueza impedindo dele sentir a realidade e poder desenvolver naturalmente.
Ao nascer uma criança grita, sua primeira infância passa chorando para vir ficar quieta ora é sacudida e mimada e outrora é corrigida.. Antes de saber falar ela dar ordem, antes de agir ela obedece, e é castigada antes de conhecer seus erros, querendo que a criança conserve sua forma original é preciso preservá-la desde que veio ao mundo conduzindo ela a uma educação propicia que venha nutrir todos os seus anseios de criança, mas não impedir que ocorra a formação para o futuro.
À medida que avanço, meu aluno é orientado de maneira diferente, não é uma criança comum tornando-se necessário uma assistência especial, para ele, um aluno que ainda é criança precisa ser ensinado desde pequeno na concepção de direitos e deveres deles como crianças e futuro adultos. O preceptor e o aluno precisam ter um conhecimento mútuo, cada um no seu papel, porem com um objetivo único, o desenvolvimento e o perfeiçoamento da criança. Há professores que só querem alunos que são gêmeos robustos e sadios e isto trás o retorno que satisfaz o ego do educador porem, aqueles que  acreditam que não possuem talentos são os verdadeiros educadores.
            Os homens não são feitos para serem amontoados em formigueiros para se espalharem para a terra que devem cultivar.
            No momento em que a criança respira ao sair de seus invólucros não deveis deixar que sejam medidas em outros que a apertem ainda mais devemos colocá-lo em um grande berço onde ela possa movimentar-se à vontade e sem perigo, quando começar a forçar mais forte deixar a engatinhar pelo quarto deixando que se desenvolva, estique as perninhas, os bracinhos e verá que ela irá se fortalecer a cada dia crescendo muito mais do que a criança bem enfaixada e totalmente presa pelos excessos de cuidados. Nascemos capazes de aprender, mas sem nada saber e nada conhecendo acorrentada a órgãos imperfeitos e seme formados a alma não tem nem mesmo o sentimento de sua própria existência, os movimentos, os gritos da criança que acaba de nascer, são efeitos puramente mecânicos carentes de conhecimentos e de vontades precisando de atenção e estímulos para a sua sobrevivência. Cada qual avança conforme seus gostos necessidades e talentos e aonde o homem pode chegar é o alvo que por ele é proposto. Os únicos hábitos que devemos deixar que a criança adquira é o de não contrair nenhum, desde que a criança comece a distinguir os objetos lhe é necessário que haja uma escolha daqueles que lhe são mostrados.
            É apenas pelos movimentos que aprendemos que existem coisas que não são nossos e apenas por nosso próprio movimento que adquirimos a idéia de extensão é por isso que a criança estende indiferentemente a mão para pegar o objeto próximo e ao que está longe dela. Só a razão nos ensina conhecer o bem e o mal à consciência que nos faz amar a um e odiar a outro, diferenciando entre o certo e o errado. Ao crescer adquirimos força tornamo-nos menos inquietos menos agitados e fechamo-nos mais em nos mesmos, ao meu corpo colocam-se por assim dizer em equilíbrio e a natureza não nos exige mais do que um movimento necessário para a nossa conservação. É preciso que estudemos a linguagem e os sinais da criança para que numa idade em que elas não sabem fingir distinguíamos em seus desejos o que vem imediatamente da natureza e o que vem da opinião.
            As reflexões nascem em profusão quando queremos ocupar com a formação da linguagem e com as primeiras palavras das crianças, façamos o que for, elas continuaram a apreender a falar da mesma maneira e todas as especulações filosóficas desse caso são da maior inutilidade. O que impede de virmos alcançar uma pronuncia eficiente é a forma como somos educados na casa paterna, pois é ali que ouvimos os primeiros sons falamos as primeiras palavras e formamos as primeiras frases e assim nascemos para a vida educacional. Vivendo em uma  constante aprendizagem.
            O autor ao escrever este livro ele dá ênfase aos métodos refletidos numa reavaliação ampliando a cosmovisão educacional moderna. Coloco em pauta uma frase de suma importância dita por ele: Nascemos fracos, precisamos de força, nascemos carentes de tudo, precisamos de assistência: nascemos estúpidos, precisamos de juízos. Tudo o que não temos ao nascer e de que precisamos quando grandes nos é dado pela educação.  Sendo assim, a vida nos proporciona oportunidades de receber, e tudo isto faz parte da educação, sua língua, sua herança cultural, sua ideologia, sua crença, sua escrita, seus métodos intelectuais. A escola tem seu papel importantíssimo pois ela é a principal estimuladora do aprendizagem trás o despertamento no individuo da necessidade de aprender  a aprender.

A Estimulação Psicossocial como um fator importante na prontidão para a pré escola.


A Estimulação Psicossocial é importante na prontidão para a pré escola. Pois, é  partir da concepção do ser humano, que vem o processo do desenvolvimento. Cada estímulo é registrado e provoca transformações na estrutura interna do cérebro. Se não forem estimuladas adequadamente naquele período elas simplesmente não se formam mais, e pode trazer sérias conseqüências no desenvolvimento psicomotor da criança. Portanto, a estimulação psicossocial é algo fundamental na pré-escola, pois estas são as primeiras experiências com o meio que influenciarão muito no futuro. Sem dúvida, este é um período crucial na vida da criança.  É imprescindível que haja desenvolvimento nos anos escolares, apesar das dificuldades e exigências que o meio o proporciona.  Caso contrário crescerá uma criança mentalmente raquítica, Segundo Shepherd (1996) o corpo cresce à medida que o Sistema Nervoso se modifica pelo crescimento. As conexões entre as células nervosas (sinapses) estão na dependência do uso da estimulação.  
RIZZO foi feliz em sua colocação quando diz; que a maioria das crianças que apresentam atraso em seu desenvolvimento cresce ou vive em um ambiente carente de estímulos. São diferentes as possibilidades de uma criança, seja ela deficiente ou não, que vive em um ambiente estimulante, daquela que se encontra num ambiente desprovida de recursos. Essa última poderá encontrar-se prejudicada tanto em seu desenvolvimento cognitivo quanto motor (RIZZO apud SOUZA e FERRARETO, 1998).
A  estimulação é fundamental no desenvolvimento infantil. Ou seja, o meio produz efeito positivo ou negativo na vida da criança. Segundo Lampréia (1985) A motricidade, afetividade, intelectualidade e sociabilidade são fatores predisponentes para os distúrbios da escolaridade, pois, as atividades psicomotoras ajudam as crianças em fase escolar em vários aspectos, como a prontidão para a aprendizagem da leitura e escrita.
Portanto, a evolução psicomotora envolve elementos básicos que serão pré-requisitos para aprendizagem e integração da criança (STOKOE, 1987). O desenvolvimento de certas competências e habilidades cruciais na prevenção de dificuldades de aprendizagem. A psicomotricidade, nesse contexto, procura proporcionar ao aluno algumas condições mínimas necessárias a um bom desempenho escolar. A relação da criança com o meio em que vive é de suma importância envolvendo jogos e brincadeiras, para atingir outras aquisições mais elaboradas como as intelectuais. Portanto, não há nenhuma probabilidade da criança desenvolver-se na ausência de estimulo. Para a escola alcançar o real objetivo que é ensinar com afinco e desvelo é necessário que ela traga no punho a estimulação psicossocial para garantir o desenvolvimento da criança que é o desejo de todos.

terça-feira, 14 de setembro de 2010

“Escola Inclusiva: desafios e possibilidades

Tive o privilegio de conversar com algumas educadoras sobre este tema tão importante. E questionei:

1.1.  1.1. Vocês acreditam que as escolas dos seus Municípios  conseguiram assumir o desafio de fazer uma escola inclusiva?

1.2.  1.2.  Como vocês já estudaram sobre o projeto político - pedagógico qual é a relação que vêem entre este e a educação inclusiva?
1.3.   A escola por si só consegue vencer
o desafio da educação inclusiva para beneficiar-se das suas possibilidades?

Respostas

1.1. Ainda não. Acho que inclusão vai muito alem de apenas admitir alunos com necessidades especiais nas salas de aula, os professores tem que está preparado e não basta um ou dois professores serem capacitados, mas sim,  toda a equipe. Há também que ser desenvolvido um trabalho de conscientização dos pais e das outras crianças para que haja não só a inclusão, mas uma verdadeira relação de convivência e interação do aluno especial na escola. 
1.2. Os projetos políticos das escolas devem sim, contemplar a educação inclusiva. Porém não deve ser apenas de forma figurativa. A inclusão deve ser vivida, dia – a dia e não ser apenas um projeto.
1.3. Não. A escola é apenas uma das instituições sociais em que as crianças  estão inseridas, não dá para a escola educar sozinha muito menos quando falamos de educação inclusiva.
1.4.   Acredito que a educação inclusiva é uma evolução, um passo a mais na educação, no entanto até que chegue ao patamar ideal ainda falta percorrer um longo caminho, é um passo importante fazer com que essas crianças se sintam parte da sociedade como iguais e, mais que fazer parte, serem integrantes de fato.

    Escola Inclusiva,  um projeto que veio para ficar, sair  do papel e fazer história!