sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Ambientes de Aprendizagem




 
Qual a diferença básica entre a aprendizagem da criança na família e na escola?
 Sabemos que, o processo de aprendizagem pode ser definido de forma sintética como o modo como os seres adquirem novos conhecimentos, desenvolvem competências e mudam o comportamento. Por isso, a situação de aprendizagem envolve a compreensão do contexto em que a criança está inserida, como as pessoas que estão relacionando, as condições de espaço físico e os objetos que estão nesse espaço, alem do modo de vida, idéias e os valores das pessoas. Nas situações que ocorrem a aprendizagem, são desenvolvidas formas de aprender que influenciarão a aprendizagem futura, influenciando-a até a vida futura.    
Quando observamos a aprendizagem da criança, percebemos que a família tem um papel fundamental nesse processo, pois é onde acontecem os primeiros contatos do bebê com o mundo externo, com as sensações, as emoções e a linguagem. A linguagem é uma das aprendizagens infantis que está basicamente relacionado ao ambiente familiar, pois é construído durante o seu desenvolvimento desde o início de sua vida. E durante os seus primeiros anos de vida, a criança aprende habilidades que serão importantes por toda a vida, tais como, andar, comer, comunicar-se, desenvolver seus sentimentos, dentre outras habilidades. Por isso, a aprendizagem na família deve ser verdadeira e ocorrer de forma prazerosa para todos, havendo interação, na qual exista comunicação de sentimentos e idéias para que possa estimular a aprendizagem. Entende-se então, que quando esse processo ocorre de forma adequada, a aprendizagem acontece de forma equilibrada.
A diferença da aprendizagem na família e na escola, é que a aprendizagem escolar ocorre de forma sistematizada por meio de vários métodos e ambientes, oferecidos pela mesma, é uma aprendizagem formal ou acadêmica, distinguindo-se da aprendizagem na família, que acontece de forma informal. Na escola a criança aprende a ler, escrever, aprende a exercitar valores nas suas ações diárias, moral, ética, cidadania. Eles têm que vivenciar, principalmente através dos exemplos das atitudes praticadas pelos que os cercam. Sabendo que para viver em sociedade é preciso cumprir regras. Elas existem justamente para serem cumpridas e não para serem violadas. Por isso o maior desafio da escola é proporcionar um ensino e uma formação de qualidade que possibilitem o desenvolvimento pleno das pessoas envolvidas nas mais variadas situações que ali são vivenciadas.
A escola é fundamental, para o aprendizado, é à base da nossa vida, tanto profissional como social. Através dela é que a gente adquire conhecimentos científicos, é o lugar de formação da educação e tem o papel de formar alunos capazes de pensar e ter autonomia para tomar decisões, desenvolvendo crianças que se tornem cidadãos críticos e criativos.
            A família e a escola formam uma equipe. É fundamental que ambas sigam os mesmos princípios e critérios, bem como a mesma direção em relação aos objetivos que desejam atingir. Ressalta-se que mesmo tendo objetivos em comum, cada uma deve fazer sua parte para que atinja o caminho do sucesso, que visa conduzir crianças e jovens a um futuro melhor. O ideal é que família e escola tracem as mesmas metas de forma simultânea, propiciando ao aluno uma segurança na aprendizagem de forma que venha criar cidadãos críticos capazes de enfrentar a complexidade de situações que surgem na sociedade. Existem diversas contribuições que tanto a família quanto a escola podem oferecer, propiciando o desenvolvimento pleno respectivamente dos seus filhos e dos seus alunos.

MATRÍCULAS ABERTAS - A ESCOLA IDEAL PARA O SEU FILHO.

Sistema Markenzie de ensino.
* Ensino infantil
   Pré-escola
* Fundamental
   Séries iniciais
* Maiores informações -   32561750

ESCOLA PODE SER DIVERTIDA, MAS NÃO É BRINCADEIRA.

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

A corrida frenética das TIC´s

Utilização das tic´s em ambientes de aprendizagem numa perspectiva de educação para todos é de fato ainda apenas perspectiva que todos tenham a oportunidade de ’’acompanhar este avanço tecnológico. Muitos ainda estão presos no passado, sem conhecer, vivendo no anonimato e na ignorância sem ter o privilegio de esta em uma sala de aula com esta estrura tecnológica. A letra da musica queremos saber de Raul Gil apresenta a realidade de um mundo esquecida por esta gama de conhecimentos que a tecnologia proporciona ao homem. Muitos ficariam estarrecidos ao contemplar de perto as renovações provocadas por meio da tecnologia. Portanto, apresento neste trabalho um pouco desta corrida frenética das TIC´s
Utilização das tic´s em ambientes de aprendizagem numa perspectiva de educação para todos
Análise que engloba as temáticas propostas nos parágrafos  sugeridos  e na canção  de Gilberto Gil  acerca da formação docente  e do cotidiano nas escolas brasileiras

Queremos Saber

Queremos saber
o que vão fazer
com as novas invenções
queremos notícia mais séria
sobre a descoberta da antimatéria
e suas implicações
na emancipação do homem
das grandes populações
homens pobres das cidades
das estepes, dos sertões

queremos saber
quando vamos ter
raio laser mais barato
queremos de fato um relato
retrato mais sério
do mistério da luz
luz do disco-voador
pra iluminação do homem
tão carente e sofredor
tão perdido na distância
da morada do Senhor
queremos saber
queremos viver
confiantes no futuro
por isso de faz necessário
prever qual o itinerário da ilusão
a ilusão do poder
pois se foi permitido ao homem
tantas coisas conhecer
é melhor que todos saibam
o que pode acontecer

queremos saber
queremos saber
todos queremos saber.
Hoje, com o avanço da tecnologia leva o educador a correr em busca do saber. Agregar cada vez mais valores no processo de construção e re-elaboração do conhecimento. Pois, toda profissão exige de seus profissionais umas formações constantes, são necessárias está atento, acordar pra vida, tem sido notório diariamente o avanço da tecnologia.  Informação e comunicação (TIC´s) entrou de uma forma surpreendente no espaço educacional a idéia inicial foi de levar esta oportunidade a todos trazendo assim melhores condições de vida onde todos tivessem acesso a dinâmica do conhecimento inclusive cursos a distancia esta ai com este propósito. Mas, não é isto que acontece. A letra da música de Raul Gil Queremos saber mostra bem esta realidade. As grandes metrópoles e cidades estão adequando a esta nova modalidade. Mas, e os interiores? Os sertões? Estão esquecidos vivendo ainda no passado, longe das tecnologias. Eles também querem saber, conhecer, participar deste avanço tecnológico. Inclusive pessoas que necessitam de cuidados especiais a demanda de profissionais capacitada aumenta a cada dia para exercer a função de levar o ensino a todos
Os computadores invadiram as salas de aulas, trazendo maiores facilidades de aprendizagem. Segundo, Fernando Silvio Cavalcante Pimentel  Desde o surgimento do computador e de sua global democratização, como também a disponibilidade da rede mundial de computadores, muitos recursos surgiram para que a educação, educadores e educando possam estar interagindo com as mídias e com as TIC’s. Aqui analisamos a proposta da utilização de dois recursos virtuais de aprendizagem (e avaliação) denominados de WebQuest e Webfólio e que estão povoando as universidades e escolas como propostas efetivas da utilização equacionada.
Mas a inclusão das TIC’s no processo educacional implica em outras questões que podem passar despercebidas. Araújo, inclusive adverte:
O valor da tecnologia na educação é derivado inteiramente da sua aplicação. Saber direcionar o uso da Internet na sala de aula deve ser uma atividade de responsabilidade, pois exige que o professor preze, dentro da perspectiva progressista, a construção do conhecimento, de modo a contemplar o desenvolvimento de habilidades cognitivas que instigam o aluno a refletir e compreender, conforme acessam, armazena, manipulam e analisam as informações que sondam na Internet. é fundamental conhecer as novas formas de aprender e de ensinar, bem como de produzir, comunicar e representar conhecimento, possibilitadas por esses recursos, que favoreçam a democracia e a integração social.
Os recursos que temos hoje representam uma grande gama de oportunidades para levarmos o conhecimento, pois, ficamos inteirados. E seguros na transmissão do saber. Pois descobrimos novas formas de saber e de ensinar, comunicar, produzir, incentivar. A tecnologia não veio roubar espaço do educador, veio somar, acrescentar e facilitar a modalidade do ensino da aprendizagem.  A utilização das TIC´s  em ambientes de aprendizagem tem sido de fato uma conquista brilhante na vida daqueles que sabem usar.



MUDANÇAS... PARE, PENSE E REFLITA COMIGO

PARE, PENSE E REFLITA COMIGO e  vamos lembrar de uma parábola do livro " A Máquina das Crianças”:

            “Imagine um grupo de viajantes do tempo de um século anterior, entre eles um grupo de cirurgiões e outro de professores, cada qual ansioso para ver o quanto as coisas mudaram em sua profissão, a cem anos ou mais no futuro.
           
            Imagine o espanto de os cirurgiões entrando numa sala de operações de um hospital moderno. Embora pudessem entender que algum tipo de operação estava ocorrendo e pudessem até mesmo ser capazes de adivinhar o órgão alvo, na maioria dos casos seriam incapazes de imaginar o que o cirurgião estava tentando fazer ou qual a finalidade dos muitos aparelhos estranhos que ele e sua equipe cirúrgica estavam utilizando.

Os rituais de anti-sepsia e anestesia, os aparelhos eletrônicos com seus sinais de alarme e orientação e até mesmo as intensas luzes, tão familiares às platéias de televisão, seriam completamente estranhos para eles.

            Os professores viajantes do tempo responderiam de uma forma muito diferente a uma sala de aula moderna. Eles poderiam sentir-se intrigados com relação a alguns poucos objetos estranhos.

            Poderiam perceber que algumas técnicas-padrão mudaram e provavelmente discordariam entre si quanto a se as mudanças que observaram foram para melhor ou para pior -, mas perceberiam plenamente a finalidade da maior parte do que se estava tentando fazer e poderiam, com bastante facilidade, assumir a classe”.
                                                                                  (Seymour Papert)

Mas porque em meio a tantas mudanças no mundo não presenciamos mudanças tão significativas em nossas escolas ?

sábado, 23 de outubro de 2010

CIGAARRO, E O ALCOOL, OS VICIOS QUE ABSORVEM A VIDA



            A que tipo de deficiência uma mulher grávida expõe seu bebê, quando ela fuma, toma bebida alcoólica e não faz tratamento pré-natal


   OS VICIOS  QUE ABSORVEM  A VIDA


            Cigarro Não é difícil identificarmos os danos causados em uma criança cuja mãe foi fumante durante a sua gravidez, é lamentável a história de vida desta criança. Segundo o Artigo de Denise Mendonça de Melo: Gravidez e droga, acessa.com. vida saudável: Diz que o consumo da nicotina afirma os médicos e os estudiosos na área ser muito prejudicial para o desenvolvimento ou mesmo sobrevivência  do bebê. Inclusive complicações na sua vida escolar; falta de atenção, dificuldade de aprendizagem, iteratividade e até mesmo desadaptação social entre outros.
            O uso do cigarro trás serias complicações tais como: problemas respiratórios na mulher e afeta principalmente a criança, os mais modernos exames já mostraram que o feto realiza movimentos que imitam a respiração quando está dentro do útero. Esses movimentos são importantes para que seu pulmão se desenvolva de maneira adequada. Quando a mãe está fumando um cigarro, o feto pode ficar até 90 minutos sem realizar esses movimentos respiratórios, o que prejudica o desenvolvimento dos seus pulmões. Assim, o feto exposto a fumaça do cigarro, é um forte candidato a ser uma criança com problemas respiratórios. Diminui o apetite em seqüência leva a uma subnutrição, pois o fumo "decompõe" a vitamina C. Quando a vitamina C não está presente para eliminar o ácido lático, há um aumento considerável da fadiga muscular. Mesmo a ingestão de quantidades elevadas de vitamina C (1 grama por dia) não chega a compensar as perdas decorrentes do uso do fumo.
            Em um estudo realizado na Dinamarca, foi demonstrado que mãe que fumam durante a gravidez tem maiores chances de terem filhos com cólica infantil começa no primeiro mês de vida e tende a acabar por volta do quarto mês. Esta é uma das preocupações de muitos pais, pois quando a criança tem essas cólicas, ela fica mais irritada, agitada e chora durante horas., a criança pode realizar movimentos de perna, cabeça e dos músculos da barriga. Fica difícil para os pais lidar com o excesso de choro e agitação do bebê. Como se não bastasse, tira o sono da criança. O fumo pode estar relacionado a tudo isso. Em um estudo realizado com 1820 mulheres dinamarquesas e suas crianças de maio de 1991 a fevereiro de 1992, foi observado que mulheres que fumavam 15 ou mais cigarros durante a gravidez e algum tempo após o parto, tinham quase o dobro de chance de terem filhos com cólicas infantis quando comparadas com mulheres que não fumaram durante esse período.
            O Fumo prejudica o desenvolvimento do feto. A placenta é responsável por levar nutrientes da mãe para o feto, e o efeito do cigarro o prejudica, deixando de receber os nutrientes que ele precisa para se desenvolver, e isso faz com que ele demore mais a crescer.
Podemos dizer que o cigarro é uma dinamite contra o feto. O oxigênio que deveria passar da mãe para o filho, perde lugar para o monóxido de carbono que está na fumaça do cigarro, e essa falta de oxigênio prejudica o desenvolvimento do feto. Além disso, como mencionei a cima a placenta fica prejudicada pelas substâncias do fumo e o sangue que chega ao feto, é também diminuído, pois o cigarro aumenta a liberação de catecolaminas que tem efeitos de diminuir o fluxo de sangue que chega ao bebê.
            Comparado  com mães não fumantes, os filhos de mulheres fumantes chegam a nascer de 73g a 233g mais magros, dependendo da quantidade de cigarros fumados.
            Infelizmente é alarmante o número de mães e filhos com terríveis seqüelas deixadas pelo cigarro.

            Álcool é uma substância com passagem livre pela placenta, pois ele vai diretamente para o feto e o fígado do bebê, que está em formação, o álcool permanece por mais tempo no organismo do bebê do que da sua mãe. Esta é uma droga de uma grande potencia “O excesso na ingestão de álcool pode causar oclusão vascular, arritmias, cirrose hepática, câncer gástrico ou intestinal e síndrome alcoólica fetal em mulheres grávidas”.
            Adolescentes, jovens, adultos, e até crianças inocentes e indefesas estão sendo arrastados ao vício da bebida alcoólica, e tem sido a mais devastadora do mundo em termos de conseqüências sociais e para a saúde. Nas mulheres o álcool afeta a produção hormonal, levando a diminuição da menstruação, infertilidade e alterações das características sexuais femininas.
            Segundo especialistas, filho de pais que consomem álcool em grande quantidade desenvolve a chamada síndrome do alcoolismo fetal que se manifesta em atrasos no crescimento, tendência a ataques epilépticos, anormalidades faciais e problemas de aprendizagem e comportamento. 
            Confirmando o que foi dito acima, a Dra Maria Luiza Martinez, médica e espanhola  conhecedora do tema, qualquer quantidade de álcool, pode por em risco  o desenvolvimento do feto. Produzindo deficiências físicas e mentais as bebidas alcoólicas penetram no feto, através da corrente sangüínea materna. Os danos são produzidos, porque a gestante elimina duas vezes mais rápido o álcool do seu sangue que o bebê, forçando-o a realizar uma tarefa para qual seus órgãos não estão preparados. Martinez sustenta também que o álcool pode criar um déficit no coeficiente intelectual do bebê.
            O feto é uma vida que está para aflorar em um processo de total ingenuidade, inocência e composição física totalmente perfeita, porem, isto pode ser modificado e este feto vir a perder toda essa composição e a sua inocência, ingenuidade e condição física serem deturpadas pelo vicio que ele não quis, mas que sua mãe adotou para sua vida, levando esse feto a conhecer o desconhecido  antes ainda de ter a opção da decisão esta sendo  conduzido  quem sabe até a morte   mas, ele quer viver e depende da consciência de sua mãe que está gerando morte em vez de vida, a dependência química é provocadora de doenças como o mal de cirrose que corrói o organismo e acaba ceifando vidas, uma mãe, que se entrega ao vicio esta perdendo o sentido do amor materno que deve ser primado pelo cuidado dos  filhos dirigindo a criança por caminhos saudáveis que lhe construam horizontes ao invés de retirar a oportunidade de ter a saúde e de ter uma mente saudável e oportunidade de crescer sem nenhum mal orgânico, oriundo ainda do seu tempo de feto e da opção de sua mãe.
             Pré-natal é algo de suma importância, pois este trará resultados benéficos por toda uma vida, são precauções que a mãe devem tomar no intuito que o seu filho venha nascer saudável, pois se trata de um ser vivo e que tem sentimento mesmo em se tratando de um feto.
            Durante as consultas de pré-natal também são repassadas informações orientando sobre as regras para uma alimentação saudável, de preparação para o aleitamento materno, bem como de comportamentos que devem ser evitados, tais como o fumo, o álcool e as drogas.
            Após pesquisar em jornais, revistas, e livros acerca deste assunto, colocam em pauta, um artigo feito por: (A. Normas e Manuais Técnicos Série Direitos Sexuais e Direitos Reprodutivos - Caderno nº 5 Brasília – DF)  Pré-Natal é o nome dado ao acompanhamento médico dedicado a mulher e ao bebê durante  o período de gestação.  Através deste acompanhamento o médico dá instruções à futura mãe, como cuidados com a alimentação, formas de se manter confortável, estimulação do bico do seio, polivitamínicos a serem ingeridos e exames que devem ser feitos.
            Infelizmente existem muitas mães não somente nas periferias, mas também nas grandes metrópoles, bem como pessoas indoutas, mas também esclarecidas, não dão prioridade ao pré-natal, sempre deixando para depois por “diversos motivos”.   As consultas devem ser  iniciadas o quanto antes possíveis, caso contrário, virão serias conseqüências que comprometerão a vida da mãe quanto o do feto. Os exames irão garantir com mais precisão a saúde de ambas. 
            Os exames identificam gestações normais e gestações de alto risco que assim é considerada quando apresentam alguma doença na mãe ou no bebê. Os exames solicitados são: Hemograma completo; Glicemia; Tipagem sanguínea; Urina; Papanicolaou; Sorologia para detectar ou não toxoplasmose e rubéola; Avaliação de infecções para detectar ou não sífilis, hepatite B, AIDS.  O médico também irá controlar o ganho de peso pela gestante que não deve ultrapassar 12 kg, pois o ganho excessivo de peso pode desencadear problemas como hipertensão, diabetes gestacional, retenção de líquidos e outros. A hipertensão é a causa mais freqüente de gravidez de alto risco, pois pode desenvolver pré-eclampsia e trazer complicações mais sérias que podem colocar a vida da mãe e do bebê em risco. Artigo extraído de
            As mulheres dos anos 30, 40, e até 50 tinham menos ricos em suas gravidez, a minha mãe, por exemplo, teve 14 filhos todos em casa, na época não tinha pré-natal, contava apenas com experiência das mães e avós. Pelo menos na maioria dos casos as crianças nasciam perfeitas e saudáveis. Hoje podemos observar vários ricos para a gravides atuais Características individuais e condições sócias demográficas desfavoráveis: Idade menor que 15 e maior que 35 anos; Ocupação: esforço físico excessivo, carga horária extensa, rotatividade de horário, exposição a agentes físicos, químicos e biológicos, estresse; Situação familiar insegura e não aceitação da gravidez, principalmente em se tratando de adolescente; Situação conjugal insegura; Baixa escolaridade (menor que cinco anos de estudo regular); Condições ambientais desfavoráveis; Altura menor que 1,45m; Peso menor que 45kg e maior que 75kg; Dependência de drogas lícitas ou ilícitas.
            O Ministério da Saúde. Amamentação e uso de drogas. Brasília, 2000. trás alguns esclarecimentos acerca de riscos que podem  ter durante a gravidez
            1.História reprodutiva anterior: Morte perinatal explicada ou inexplicada; Recém-nascido com restrição de crescimento, pré-termo ou malformado;Abortamento habitual; Esterilidade/infertilidade; Intervalo interpartal menor que dois anos ou maior que cinco anos; Nuliparidade e multiparidade; Síndromes hemorrágicas;Préeclâmpsia/eclampsia;Cirurgia uterina anterior; Microssomia fetal.
            2.Intercorrências clínicas crônicas: Cardiopatias Pneumopatias;Nefropatias; Endocrinopatias (especialmente diabetes mellitus);Empatias;Hipertensão arterial moderada ou grave e/ou em uso de anti-hipertensivo;Epilepsia;
            3.Infecção urinária; Portadoras de doenças infecciosas (hepatite, toxoplasmose, infecção pelo HIV, sífilis e outras DST); Doenças auto-imunes (lupus eritematoso sistêmico, outras colagenoses); Ginecopatias (malformação uterina, miomatose, tumores anexiais e outras).
            4. Doença obstétrica na gravidez atual: Desvio quanto ao crescimento uterino, número de fetos e volume de líquido amniótico; Trabalho de parto prematuro e gravidez prolongada; Ganho ponderal inadequado; Préeclâmpsia/eclampsia; Amniorrexe prematura; Hemorragias da gestação; Isoimunização; Óbito.
            5. Doenças auto-imunes (lupus eritematoso sistêmico, outras colagenoses);
Ginecopatias (malformação uterina, miomatose, tumores anexiais e outras).
            6. Doença obstétrica na gravidez atual: Desvio quanto ao crescimento uterino, número de fetos e volume de líquido amniótico; Trabalho de parto prematuro e gravidez prolongada; Ganho ponderal inadequado; Préeclâmpsia/eclampsia; Amniorrexe prematura; Hemorragias da gestação; Isoimunização; Óbito fetal.  Identificando-se um ou mais destes fatores, a gestante deverá ser tratada naunidade básica de saúde (UBS), conforme orientam os protocolos do Ministério da saúde. Os casos não previstos para tratamento na UBS deverão ser encaminhados para a atenção especializada que, após avaliação, deverá devolver a gestante para a atenção básica com as recomendações para o seguimento da gravidez ou deverá manter o acompanhamento pré-natal nos serviços de referência para gestação de alto risco. Nesse caso, a equipe da atenção básica deverá manter o acompanhamento da gestante, observando a realização das orientações prescritas pelo serviço de referência.
            No pré-natal, o médico também irá controlar o ganho de peso pela gestante que não deve ultrapassar 12 kg, pois o ganho excessivo de peso pode desencadear problemas como hipertensão, diabetes gestacional, retenção de líquidos e outros. A hipertensão é a causa mais freqüente de gravidez de alto risco, pois pode desenvolver pré-eclampsia e trazer complicações mais sérias que podem colocar a vida da mãe e do bebê em risco.
            Entre tantos benefícios que a mulher grávida recebe durante o pré-natal ela recebe o  acolhimento, aspecto essencial da política de humanização, implica a recepção da mulher, desde sua chegada na unidade de saúde, responsabilizando-se por ela, ouvindo suas queixas, permitindo que ela expresse suas preocupações, angústias, garantindo atenção resolutiva e articulação com os outros serviços de saúde para a continuidade da assistência, quando necessário, para o seu desenvolvimento, bem como para a relação que a mulher e a família estabelecerão com a criança, desde as primeiras horas após o nascimento. Interfere, também, no processo de amamentação e nos cuidados com a criança e com a mulher. Um contexto favorável fortalece os vínculos familiares, condição básica para o desenvolvimento saudável do ser humano. Tudo isto interfere de forma positiva na gestação. Portanto o pré-natal é algo extraordinariamente necessário.
         Ao pesquisar estes itens abordados neste tema: A que tipo de deficiência uma mulher grávida expõe seu bebê, quando ela fuma, toma bebida alcoólica e não faz tratamento pré-natal
pude perceber que as mulheres que fumam, bebem, e deixam de  fazer o tratamento pré-natal, são pessoas que infelizmente não dão valor a vida vivem no anonimato, esquecidas por elas mesmas. Analisados  porem; o histórico de vida destas mães desde o seu nascimento. A muitas que estão apenas reproduzindo a sua história. Apesar de que os livros, revistas, e artigos trás a mesma concepção de que as ceguelas deixadas pelo vicio passa de mãe pra filho, quando este participou ainda no ventre. Mas não é necessariamente que este filho continua com este vicio deixado pela mãe, alem da decisão de escolha, existe tratamento.
            A bebida, o cigarro, tem ceifado vidas, muitas crianças morrem ainda no ventre de suas mães, outras nascem, mas não tem o prazer pela vida, devido as sequelas, os estragos que a bebida ingerida e o cigarro tragado pela sua mãe o deixou, enfim, são marcas deixadas pelo vicio de quem não teve limites. É difícil chamarmos tais pessoas de vitimas do cigarro, da bebida, ou seja, vitimas da droga. Denominamos como vitimas aqueles que são forçados a fazerem algo que não querem, fora disso vem o livre arbítrio, o cigarro está ai com vários sabores diferentes, a bebida da mesma forma, as propaganda fazem o que podem para convencer o consumidor. Mas compra quem quer, o próprio ministério da saúde o adverte nos rótulos da bebida e do cigarro, mas tudo isto se torna atrativo, as grávidas consumistas são esclarecidas acerca dos danos que estes vícios trazem, mas, continuam preojudicando-se e a criança que trás em seu ventre.
Muitas mães não se preocupam em fazer o pré-natal, algo tão necessário  para o bem estar e desenvolvimento da criança, agindo assim, é como se fosse uma gravidez indesejável  portanto, a minha concepção  é que   tais mulheres  não mereciam esta dádiva de ser mãe.

Escola, fragmento do futuro

Rubens Alves

"Enquanto a sociedade feliz não chega,
que haja pelo menos
fragmentos de futuro em que a
alegria é servida como sacramento,
para que as crianças aprendam
que o mundo pode ser diferente.
Que a escola, ela mesma,
seja um fragmento do
futuro..."

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Escola democrática uma conversa sobre o panorama histórico e social das décadas de 80 e 90 do séc. XX


O trabalho pedagógico pode auxiliar na construção de uma escola democrática:


Evidentemente, pois ela estimula o aprendizado, socializa a base escolar trazendo compreensão de uns para com os outros independentes da posição social. De que forma? Um aluno carente da sociedade é mais bem compreendido por esta socialização dissipando barreiras que o impeça de prosseguir e prosperar nos estudos. “A educação escolar enquanto prática  social, relevante,  capaz de oportunizar as construções  de relações mais democráticas  tem lugar de destaque na pauta  das discussões desse período  nesse período  segundo Oliveira (1992), nos anos 80 o País enfrentava  uma grave exclusão  social e escolar”.
As escolas estão passando por um processo de mudança política e pedagógica, mas existem muitas resistências por parte de professores com formação nos anos 70 e 80 período do regime militar, e que não aceitam mudar a sua forma de ensinar, e isso vem dificultando a implementação das políticas educacionais.Se pudéssemos aposentar esses professores com antecedência as escolas com certeza melhorariam a qualidade de ensino.
            Sem essa democracia a escola não conseguia ver essas desigualdades sociais; havendo uma compreensão melhor quanto a essas necessidades de melhoria, de compreensão, essa forma democrática de uma política sadia  participativa na consumação do aprendizado.
Uma escola democrática  baseia em princípios democráticos, em especial na democracia participativa, dando direitos de participação iguais para todos; estudantes, funcionários, professores, diretores, secretários. Todos fazem parte de uma equipe forte e que tem objetivos em comum.  Esses ambientes de ensino colocam as vozes da juventude como os atores centrais do processo educacional, ao engajar estudantes em cada aspecto das operações da escola, incluindo aprendizagem, ensino e liderança. Os adultos participam do processo educacional facilitando as atividades de acordo com os interesses dos estudantes.
Organizar o trabalho pedagógico na escola não é uma tarefa fácil é algo abrangente, requer uma formação de boa qualidade além de exigir do gestor um trabalho coletivo que busque incessantemente a autonomia, liberdade, emancipação e a  participação na construção do projeto político-pedagógico. Numa gestão democrática, o gestor precisará saber como trabalhar os conflitos e desencontros deverá ter competência para buscar novas alternativas e que as mesmas atendas aos interesses da comunidade escolar, deverá compreender que a qualidade da escola dependerá da participação ativa de todos membros, respeitando  individualidade  cada um e buscando nos conhecimentos individuais novas fontes de enriquecer o trabalho coletivo, pois Cada cabeça, uma mente, cada mente uma visão, cada visão um parecer. (Sirley Lemos).
A organização do trabalho pedagógico é uma estratégia educacional para democratizar o processo ensino-aprendizagem, então é de suma relevância para um gestor complementar  novas formas de administrar em que a comunicação e o diálogo estejam inseridos na prática pedagógica  do docente. Cabe ao gestor assumir a liderança deste processo com competência técnica e política.
         Ao assumir esse papel o gestor deve, necessariamente buscar a articulação dos diferentes atores em torno de uma educação de qualidade, o que implica uma liderança democrática, capaz de interagir com todos os segmentos da comunidade escolar. A liderança do gestor requer uma  formação pedagógica crítica e autônoma dos ideais neoliberais. Nesse sentido, o objetivo  é construir uma verdadeira educação com sensibilidade e também com destrezas para que se possa obter o máximo de contribuição e participação dos membros da comunidade. Conforme Libâneo (2001,p.102
A participação é o principal meio de assegurar a   gestão democrática da escola, possibilitando o   envolvimento de profissionais e usuários no processo de tomada de decisões e no funcionamento da organização escolar. Além disso, proporcionar um melhor conhecimento dos objetivos e metas, da estrutura organizacional e de sua dinâmica das relações da escola com a comunidade, e favorece uma aproximação maior entre professores, alunos e pais. Sendo assim  haverá um trabalho pedagógico de qualidade vivenciando uma  verdadeira  construção democrática. 

      



terça-feira, 19 de outubro de 2010

PEDAGOGIA DO MESTRE DOS MESTRES

É FUNDAMENTAL QUANDO APRENDEMOS AS BELAS LIÇÕES DO MESTRE DOS MESTRES, E QUANDO COLOCAMOS EM PRÁTICA ESTAMOS CUMPRINDO O MAIOR PROJETO DE TODOS OS PROJETOS QUE É FAZER MISSÃO

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

PROFESSORA SIM, TIA NÃO



Paulo Freire deixou muitas lições importantíssimas para os mestres, e os que desejam ser, É necessário aprender de tudo um pouco, nunca acreditando que já sabemos de tudo ou que estamos fazendo tudo certo. A vida é uma escola de muitas histórias e muitas páginas também...

Paulo Freire, uma personalidade extraordinária, viveu na integra uma paixão incessante pelo ensino, neste livro, Professora sim, tia não cartas a quem ousa ensinar, ele mergulha em seus sentimentos quando transmite ao professor a responsabilidade desta grande tarefa que exige tanto do professor, deixa claro que não basta transmitir conhecimentos, mesma que esta transmissão seja de uma forma plausível, com afinco e desvelo, é preciso ter amor pelo que faz, sentir paixão, não esta paixão passageira, que qualquer vendaval é motivo para recuar, mas uma paixão ardente capaz de doar o melhor de si. Sabendo que a professora que se presa vai além de tia, pois, ela que esta presente diariamente, acompanhando o crescimento gradativo do aluno, além de ama-la, está pronta para ensinar, enquanto a tia ama, mas às vezes ausente e distante.

Vejamos as palavras proferidas por Paulo Freire, Ensinar é exigir tanto de si quanto de quem aprende, por isso não pode ser feito de qualquer maneira, requer responsabilidade social. E é por isso que é preciso manter uma programação com constante avaliação. Além disso, há os pacotes fechados, prontos, que, quando em contato com a realidade contextual de cada lugar, desaparecem ou formam deformando. Justamente aí se apresenta o autoritarismo como suporte às “Tias” para terminar o dia, a tarefa.
O texto, "embora simples", tem a intenção de mostrar a tarefa do ensinante que é também a de ser aprendiz. O professor é um eterno aprendiz  sempre aberto para receber novos conhecimentos, ou melhor, o bom mestre é aquele que esta sempre atento para receber, sempre tirando proveito de todas as oportunidades que a vida lhe proporcionam,  tirar uma lição de cada acontecimento.
Segundo Freire é preciso ousadia ao próprio fato de se fazer professor, educador, que se vê responsável profissionalmente pela formação permanente. Nesse sentido, não se quer desmoralizar ou desvalorizar a figura da tia, mas questionar a desvalorização profissional, que vem acontecendo há décadas, de transformar a professora num parente postiço. deixando de lado prioridades. É possível ser tia sem amar os sobrinhos, sem gostar sequer de ser tia, mas não é possível ser professora sem amar os alunos, mesmo que amar, só, não basta, não é o suficiente o sucesso do professor depende do seu desempenho, e para desempenhar bem é preciso amar o que faz e para quem. Portanto, talento, conhecimento, dedicação, reciclagem, dinamismo, perseverança, tudo isto andam juntos, mas, porem, o amor pelo que faz é a verdadeira essência para o sucesso acadêmico.
SER MESTRE, É SER UM ETERNO APRENDIZ.

sábado, 16 de outubro de 2010

BEHAVIORISMO E SUA APLICAÇÃO

video

Os diferentes períodos evolutivos pelas quais passa o ser humano e a importância das relações interpessoais estáveis como aspecto que potencia ou limita os processos de adaptação e de mudança que ocorre no desenvolvimento humano


Os diferentes períodos evolutivos são a infância, adolescência, idade adulta e senilidade.  A adolescência um período em que ocorre as descobertas existenciais, onde o processo educativo é gerador de reações positivas ou contrarias, pois o aluno esta a busca de algo que não somente preencha as suas expectativas, mas também seja atraente e lhe condicione para o sucesso na sua vida acadêmica, emocional, familiar e social. Pois possuí uma necessidade intensa de valorização e reconhecimento.
     O período da idade adulta  no âmbito da educação é estável pois já tem definido os seus objetivos, tendo as decisões para sua vida profissional já constituída,   sendo a formação acadêmica uma necessidade urgente para o seu desenvolvimento profissional e valorização pessoal, por ter definido o que quer vir a ser ou qual posição quer exercer, direciona as suas buscas para uma área  especifica  com o intuito de uma formação que lhe faculte um melhor reconhecimento na sua vida profissional e social.
     A senilidade é um período onde as etapas de sua existência já foram percorridos, onde supõe-se que  já tem constatado todas as suas experiencias alcançadas no âmbito acadêmico e profissional, porem enquanto a existência, existem limites a serem superados, surgindo assim novos rumos.   Portanto este período é o momento de prosseguir e não estacionar, é preciso entusiasmo para visualizar novas etapas e gerar momentos de aglutinamento de informações e aprendizado para uma reciclagem.
     A infância no período inícial  o que se relaciona a sua existência futura, é o momento da base geradora de uma educação e formação intelectual que se ampliara a cada período em conseqüência da base feita. Por isso se faz necessário uma dedicação intensa por parte do educador para os resultados do educando, proporcionando uma educação que desperte a sua criatividade afim  de ser aflorado os seus talentos, para que a formação venha produzir resultados que proporcionem rumos a serem seguidos para a aplicação do ensino, afim  de  despertar  na criança um constante interesse pela  escola. É preciso que a criança seja considerada pelas outros períodos evolutivos, havendo uma oportunidade de interação entre as gerações para nutrir um sentimento de valorização na criança que o conduza a busca do conhecimento.  Estas iniciativas de apoio e relacionamento aberto familiar, social e escolar; serão produtores de uma conscientização na criança da importância de valorizar aos  momentos que lhe acrescem experiências, descobertas e conhecimentos; capazes de lhe tornar ainda mais valorizado para com todas as faixas etárias que lhe circundeiam.  A criança na atualidade tem a escola e a sociedade adaptada para lhe proporcionar novos horizontes, a familia esta conquistando novos espaços, os relacionamentos estão sendo anpliados e revitalizados, tornando a criança não mais exclusa do anbiente das decisões, mas lhe proporcionando a participação, possuindo direitos e deveres; que lhe encaminharão como ser humano a busca de um desenvolvimento e reconhecimento.  




seu legado para educação

video
Recebi esta mensagem em homensagem ao dia dos professores, e dedico a você.
PARABENS!




Refletindo sobre o ato de aprender


Aprender não é acumular certezas

Nem estar fechado em respostas

Aprender é incorporar a dúvida

E estar aberto a múltiplos encontros

Aprender não é dar por consumada uma busca

Aprender não é ter aprendido

Aprender não é nunca um verbo do passado

Aprender não é um ato findo

Aprender é um exercício constante de renovação

Aprender é sentir-se humildemente sabedor de seus limites, mas com a coragem de não recuar
diante dos desafios

Aprender é debruçar-se com curiosidade sobre a realidade

É reinventá-la com soltura dentro de si

Aprender é conceder lugar a tudo e a todos

E recriar o próprio espaço

Aprender é reconhecer em si e nos outros o direito de ser dentro de inevitáveis repetições porque aprender é caminhar com seus pés um caminho já traçado

É descobrir de repente uma pequena flor inesperada

É aprender também novos rumos onde parecia morrer a esperança

Aprender é construir e reconstruir pacientemente

Uma obra que não será definitiva porque o humano é transitório

Aprender não é conquistar nem apoderar-se mas peregrinar

Aprender é estar sempre caminhando, não é reter mas comungar. Tem que ser um ato de amor para não ser um ato vazio.  Paulo Freire

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Alfabetização, uma questão de consciência crítica

Como são organizadas suas práticas pedagógicas da alfabetização propõe aos educandos?

ENTREVISTA:

 
Educadora: Viviane Melo
Atuação: Crianças de 05 anos
Escola: Formiguinha

 
        Resposta:

Nas minhas práticas de alfabetização não foram utilizados livros
adotados, as atividades eram feitas dentro da faixa etária, seguindo os conteúdos programáticos para esta fase, o método utilizado era o silábico, utilizando a linha de Paulo Freire, trabalhei jogos como dominó, jogo da memória, brincadeiras que envolvem coordenação motora fina, recorte, bolinhas, fio de lã, cordão etc; Oralidade: Musica poesias, teatro, representação utilizando o corpo. Nestas fases crianças necessitam de expressão corporal, oralidade, coordenação motora fina e ampla atividades que envolvem a memorização. Pois, os alunos simplesmente repitam as famílias silábicas ou decorem a cartilha e não interiorizem a aprendizagem. Contudo, é importante lembrar que a memorização e a repetição, quando bem orientadas e com objetivos definidos, são muito importantes na aprendizagem.
Ler palavras para que elas repitam e depois escrevam, seja coletivamente ou individualmente. Confecciona para os alunos fichas com seus respectivos nomes, em letra cursiva e em letra bastão, para proporcionar o contato deles com as letras de seus nomes e da de seus colegas. Com estas fichas são realizadas atividades como: identificar a ficha que contem o nome do colega, contar o numero de letras destacando a letra inicial e a final.
Os alunos também são solicitados a escreverem os nomes dos colegas da sala e o deles próprios para que assim se possa avaliar se conseguem fazer esta atividade sozinha, assim, a escrita realizada pelas crianças servirá para identificar em qual nível psicogenético (relatado anteriormente) elas se encontram.

Educadora: Elionai da Silva
Atuação: 5º ano do ensino fundamental
Escola: Rede municipal de ensino

        Resposta:

Minha prática pedagógica de alfabetização se dá com atividade de leitura a partir dos livros didáticos (projeto pitanguá) – (português), porem ele funciona como um direcionador, mas não o principal, trabalho outros textos, geralmente xerocados e de variáveis gêneros. Então de acordo de cada texto fazemos a leitura ora geralmente intercalados os alunos e a dramatização da história, fazendo a interpretação oral do texto (discussões). E principalmente com a oralidade para a escrita.
Outra atividade que realizo com meus alunos para ajudar na concretização da alfabetização é o trabalho de literatura, onde no inicio de cada semestre, selecionando 27 livros literatura (quantidade de alunos que eu tenho) eles são marcados e numerados. E toda a semana cada aluno lê um livro diferente, onde todos ao final terão lido os 27 livros. Na escrita peço que façam uma síntese com suas palavras dos livros que leram.

 
Educadora: Martha Helena
Atuação: 4º ano do ensino do ensino médio
Escola: Escola Estadual de 1º e 2º grau.

            Nas minhas práticas pedagógicas de alfabetização são realizadas através das modalidades organizativas, atividades que acontecem na rotina semanal. Trabalhamos com seqüência de atividades, relatos, produção de textos, orais ou escritos; elaboramos, bilhetes, avisos, cânticos, declamação de poesias, leitura de textos de brincadeiras infantis, leitura de livros, buscando a identificação dos gêneros, textuais, histórias, anúncios, poesias, mensagens, contos. Fazemos também leitura de jornais, e debatemos os assuntos relacionados a noticias procurando despertar em cada o potencial de buscar mudanças nas áreas necessárias no aspecto social Trabalha a oralidade, a leitura e a escrita de forma articulada. Fixa cartazes nas paredes para que as crianças acompanhem o que for sendo vivenciado.
Trabalhamos a leitura de forma prazerosa, lúdica e formadora de leitores. E incentivamos  a leitura através do empréstimo de livros pela biblioteca e mini-biblioteca nas salas de aula da educação infantil e primeiro ano. Existe uma atividade denominada Ciranda de Leitura, onde os livros são divididos por gêneros, cada sala fica com o que achar ideal se trabalhar. Durante a semana todo processo de leitura e produção textual é feito juntamente com a professora.

Comentário:
Foi realmente gratificante a oportunidade de fazer esta entrevista com alguém que atua na área do ensino infantil. Cuja experiência esta pautada em uma faixa etária podemos dizer complexa, em se tratando de uma idade onde tudo nos resume por quês.
         Primeira entrevista
A primeira entrevista Foi realizada no meu trabalho, onde lá conversamos, trocamos idéias e experiências. Foi realmente gratificante, cresci, apesar de não concordar muito com uma de suas respostas, por exemplo: Não adotar livros afinal este é um dos principais instrumentos de aprendizagem além daquela citada por ela, inclusive métodos valiosos ensinados por Paulo Freire.  Esse tipo de leitura só deve ser usado como leitura superficial.
Ler não é somente juntar letras e formar palavras, mas também e, fundamentalmente, significa saber interpretar, decodificar a mensagem. Não se lê apenas através de símbolos do alfabeto.
Existem outros códigos que produzem textos, tais como: uma obra de arte, uma cor, um desenho simples, um gesto ou expressão corporal, um comportamento ou atitude, uma expressão de pensamento e, assim por diante. Todas essas mensagens podem ser interpretadas de forma diferente por cada indivíduo leitor, considerando que a decodificação depende do histórico de vida de cada pessoa. Gerar um tema depende de muita leitura e interpretação das mensagens do cotidiano. Ter o hábito de observar e questionar fatos sociais configurados no dia-a-dia contribui muito para o crescimento, Todos os fatos é importante para quem quer escrever seja o que for. A opinião é formada por meio das mais variadas leituras.
Por mais que surgem idéias inovadoras, que fazem as crianças avançarem cada vez mais na aprendizagem, os livros sempre terão seu espaço todo especial. Não simplesmente nas prateleiras das bibliotecas do mundo afora, mas nas mãos de todos, não importa a idade, pois na mediada que folheamos livros e mais livro independente da idade terá a capacidade de enxergarmos novos caminhos e horizontes sendo abertos ao nosso favor.
Segunda entrevista
        Esta foi realizada no meu próprio estabelecimento de trabalho. Um recreio de 20 minutos, o tempo suficiente para entrevista-la.  Achei de suma importância o método de adotar livros. Leitura e interpretação de textos. Só não concordei com a quantidade de livros a serem lidos em tão pouco tempo. Pois, não basta ler, é necessário entender e interpretar de uma forma clara e sucinta.

        3º Entrevista

Quando tiramos tempo para realizarmos uma entrevista especialmente no que tange a área da educação há uma grande probabilidade recíproca de conhecimentos, pois são geralmente as trocas de experiências idéias e objetos que nos acrescenta cada vez mais.
Esta entrevista foi realizada Por telefone, é obvio que nos tira a liberdade de expressarmos com mais detalhes àquilo que queremos dizer e ouvirmos, mas, valeu! O precioso tempo que a entrevistada dedicou-se e com muito carinho responder os questionamentos com eficácia. Gostei muito quando a mesma defendeu com muita convicção acerca da leitura; jornais, livros, revistas etc. este incentivo é válido e principalmente necessário.

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

O que exerce a mais importante influencia no desenvolvimento da inteligência o ambiente ou aquilo que herdamos biologicamente dos nossos pais?






Ao falar de “inteligência”, é importante chegar a origem e significado da palavra. Do latin inter= entre e elegere – escolher.
Segundo Celson Antunes  (2001) inteligência significa a capacidade cerebral pela qual conseguimos  penetrar na compreensão  das coisas escolhendo o melhor caminho.
Ainda no dicionário, o verbete, vem com o seguinte significado: a facilidade de compreender.
Com base nas definições é possível afirmar que a inteligência de um individuo é produto de uma carga  genética que pode ser alterada  através de estímulos aplicados  a cada faze  do desenvolvimento humano.
Tempos atrás uma pessoa era taxada de “burra” ou “inteligente” quem nunca assistiu a um filme ou desenho animado onde um aluno era colocado num canto da sala  e forçado a usar um chapéu de burro?
Era mais fácil rotular os indivíduos dessa forma do que ter o trabalho de estimular a inteligência deles. Principalmente quando estes traziam consigo a necessidade de cuidados especiais por serem excepcionalmente especiais.
Na Antigüidade os excepcionais eram encarados como uma degeneração da raça humana e, portanto descartados da sociedade. A Idade Média, sob a influência da Igreja já passou a adotar uma consciência mais humana que os salvaguardasse da exclusão. A Idade Moderna é marcada por uma visão mais científica que acaba por excluí-los sob o signo do patológico. A Idade Contemporânea reflete nos seus primórdios uma posição preconceituosa que confina os excepcionais em instituições especiais em que são retirados do convívio com os ditos normais. Hoje, busca-se uma integração dos diferentes físicos e mentais à sociedade, de modo que possam participar do mesmo processo de aprendizagem das pessoas "normais". Afinal, o mundo se embeleza com a diversidade, sua característica própria. Devemos nos habituar desde cedo a aceitar o outro, o diferente, sob pena de nos tornarmos seres humanos intolerantes, racistas e preconceituosos.
Hoje a educação evoluiu muito a escola tem um papel importantíssimo no processo de desenvolvimento humano, principalmente, como maior estimuladora para que um individuo desenvolva suas capacidades cognitivas.
Pessoas com algum tipo de deficiência pode ser estimuladas  e desenvolvem outras capacidades atingindo êxito em seu caminho de desenvolvimento da inteligência.
Portanto, podemos concluir que existem fatores hereditários, porem o ambiente exerce muito mais influencia  no desenvolvimento da inteligência, pois o individuo  em contato com o mundo ao seu redor é estimulado  a desenvolver suas capacidades, ele desenvolve sua inteligência, aprende a aprender. Morei em Moçambique alguns anos onde lá tive a oportunidade de ter dois lindos  filhos, Ludwig e o Ezequias, o mais novo teve malária cerebral, e isto, creio que afetou um pouco a sua capacidade de aprendizagem, ao chegarmos no Brasil, o mesmo não foi aceito nas escolas entre os “normais” foi enviado para uma escola especial onde as crianças são portadoras de síndrome de down, durante um ano  que meu filho ficou nesta escola houve uma regressão muito forte, ele simplesmente adaptou com o meio começou a falar, andar, comer, enfim, igualzinho os outros. Hoje podemos notar o seu o seu desenvolvimento em todas as áreas. em apenas quatro  meses, houve uma grande mudança.
            Educação inclusiva significa provisão de oportunidades eqüitativas a todos os estudantes, incluindo aqueles com deficiências severas, para que recebam serviços educacionais eficazes, com os necessários serviços suplementares de auxílios e apoios, em classes adequadas à idade em escolas da vizinhança, a fim de prepará-los para uma vida produtiva como membros plenos da sociedade."
"Educação inclusiva é uma atitude de aceitação das diferenças, não uma simples colocação em salas de aula."
(Fonte: Leituras sobre inclusão. Adaptado pelo Projeto Estadual de Mudança de Sistemas para a Educação Inclusiva da Louisiana, fev. 1995.)