domingo, 18 de outubro de 2015

EDUCAÇÃO INCLUSIVA ESTAMOS CAPAZES PARA ESTA PRÁTICA?

A educação inclusiva e de qualidade produz não somente alunos cÁdora de progressos em todas as áreas necessárias de avanço; culturais por que a educação vai produzir uma cultura cada vez mais expansiva e vertiginosa, com uma rotatividade intelectual notória e empreendedora em todas as suas esferas de atuação na vida de um povo. EDUCAÇÃO INCLUSIVA ESTAMOS CAPAZES PARA ESTA PRÁTICA?
Hoje vivemos numa sociedade globalizada que necessita de uma educação capaz de quebrar todos os paradigmas e estar sempre ampliando os seus métodos pedagógicos para causar uma pedagogia que esteja sempre refletindo sobre novos rumos para a educação e formação de seus discentes.
Ao se pensar na pratica docente é olhar não só para a atuação deste intelectual, mas para o contexto de sua vida na academia e na sociedade, quais são as suas expectativas, anseios e participação nesta sociedade, como humano, pois não esta a parte de todas as realidades, mas sim, as estuda para causar mudanças que produzam um povo mais capacitado para as novas realidades.  
Incentivado seus docentes uma educação continuada, procurando causar nos seus profissionais da educação um olhar idealizador, buscando sempre novos horizontes e conquistando novos espaços como intelectual, uma formação interdisciplinar com uma delineação humanista, onde todas as crianças sejam elas deficientes ou não estejam de fato enquadradas em todos os projetos pedagógicas para que possamos viver num mundo mais justo e digno de se viver.
A atuação do gestor escolar permeia-se em pressupostos complexos na administração organizacional, neste sentido e, mediante a globalização que prioriza o novo perfil de profissional torna-se imprescindível que o gestor além de competência técnica seja um líder por excelência.
Tendo uma percepção de atuação que se adapta as intervenções do multiculturalismo no espaço escolar, utilizando este como um elemento pedagógico para a ampliação cultural e intelectual dos alunos, vê na diferenças e divergências sociais uma oportunidade de construção de uma educação sem fronteiras, com isto não exclui os que a sociedade isola por preconceitos, mas lhes inclui concedendo todas as condições para seu desenvolvimento cognitivo, lhes oferecendo uma inclusão social. 
 Concluo este artigo, declarando que todos tem o direito de realizar seus ideais, para isto a educação não pode ser direito de um grupo, mas de todos aqueles que vivem na sociedade, educar é aceitar a todos com suas diferenças e diversidades, assim agindo seremos uma escola democrática e inclusiva; onde educar é participar junto de todos, acreditando que unidos podemos construir uma educação para todos, que sai das propostas políticas para a realidade vivenciada pelo povo. video

terça-feira, 13 de outubro de 2015

ANÁLISE DO FILME O GLADIADOR


 O GLADIADOR

TÍTULO DO FILME: GLADIADOR (Gladiator, EUA, 2000)
DIREÇÃO: Ridley Scott
ELENCO: Russel Crowe, Joaquin Phoenix, Richard Harris, Connie Nielsen, Oliver Reed, Derek Jacobi, Ralph Moeller, Spencer Treat Clark; 154 min.
Gênero: ÉPICO.
Fiquei devidamente impactada ao assistir o filme gladiador, pois o seu contexto  foi em uma  época de crise fortemente presente durante o  governo de Marco Aurélio   até a queda do Império em 476.  Foi de fato um dos maiores e mais duradouro império da época.
Trata-se um filme cheio de suspense e emoções. São cenas fortes e brutais mostrando o lado sujo e escuro da raça humana em que a busca desenfreada pelo poder fala tão alto que é capaz de passar por cima de tudo e de todos sem dó e piedade, mesmo que custe o sangue do próximo, não importando se o próximo seja o próprio pai. O importante é chegar lá. Olho por olho e dente por dente. Este é o momento em que a justiça humana esta cega, muda e surda. Vence o mais forte mesmo que pra isso tenha que pisar em poças de sangue humano devido à guerra.
Inicialmente o personagem principal da trama é comandante  de uma frente do exercito romano Máximo foi surpreendido ao saber que Marco Aurélio  esta pretendendo lhe passar o comando do império devido a sua velhice e sua saúde completamente debilitada. 
 1º cena: Fiquei completamente sensibilizada não contive as lagrima ao ver o ódio nos olhos do filho do imperador Cômodo quando soube deste desejo do pai, simplesmente deixou que o seu coração fosse tomado pela inveja ciúmes e ganância, imediatamente promove a morte do próprio pai para ficar no poder antes de Máximo. Quantas pessoas hoje esta neste caminho, promovendo guerra, discórdia e ódio por causa do dinheiro, fama e poder, pai contra filho e filho contra pai. Os valores estão invertidos. Nem todos colocam o amor na posição que deve esta, deixa de lado. Porque vale quem tem quem não tem nada vale. Com isto não posso generalizar porque ainda existe muita gente boa e por causa destes, o mundo ainda existe. Pois o amor não pode morrer, ele tudo suporta. Mas infelizmente o ódio pode matar dependendo da sua força. O plano sarcástico e diabólico foi o suficiente para tomar o poder Não satisfeito manda matar Máximo sabendo disso, Máximo foge,
2º cena: Fiquei indignada e emocionada quando o Comando revoltado com a fuga de Máximo, manda seus soldados executar da forma mais cruel possível,  sua esposa e seu filho, torturando-os e os crucificando  na intenção de vingança que ele não conseguiu matar Máximo esta foi uma das mais cruéis vingança.
A Irmã de Cômado não satisfeita com as atrocidades do irmão fica ao lado de Máximo prestando apoio, mas Cômodo sabendo disso não pensa duas vezes resolveu executa-la.  E no decorrer do filme Máximo e cômodo se enfrentam na arena, ocorrendo assim a morte de ambos. Deixando o reinado de Roma para o seu sobrinho que depois de adulto reinará
Destaco aqui dois valores que vale a pena segui-los
1º  Lutar sempre mas,  por uma causa justa
2º Não deixar ser abalado pelas consequências
Independente da época, momento de crise inclusive esta que o nosso Pais está atravessando, e sofrimento, nada justifica a vingança, guerra gera guerra, ódio gera ódio, vingança gera vingança. Quando Máximo soube do assassinato de sua família, ficou revoltado, indignado e com isto o desejo de vingança tornou mais forte e consistente. A vingança passou a ser o seu objetivo principal, agora a sua vida esta direcionada em apenas um alvo vingar pela sua família que morreu de uma forma humilhante e dolorosa. Tendo ele fugido e muito ferido ele é capturado por uma tribo, e sendo vendido tornando escravo, submetendo a lutar com diversos soldados travando batalhas sangrentas chegando a lutar no coliseu, pois era a mais nova forma que os romanos tinham para seus divertimentos. Máximo sabendo que cômodo estava no poder do império, estava ele até então disposto a vingar o assassinato de sua família, mas para isso era preciso primeiramente triunfar para ganhar a confiança das pessoas que estavam a sua volta lutando por uma causa pessoal, mas de uma forma solidária levando muitos benefícios ao povo. Mas cômodo vendo que estava sendo traído pela sua irmã, que estava a favor de Máximo, resolveu executa-la, pessoalmente no coliseu perante o povo romano. Nem mesmo esta atitude de Cômodo intimidou Máximo, fez o desistir de seu plano. Continuou firme em seu alvo. Mas no decorrer do filme Máximo e cômodo se enfrentam na arena, ocorrendo assim a morte de ambos. Deixando o reinado de Roma para o seu sobrinho que depois de adulto reinará.
·         Extraímos aqui duas lições:  
Coragem e determinação são dois fatores imprescindíveis para alcançar a vitória
Quando Máximo soube desta tragédia, ficou revoltado, indignado e com isto o desejo de vingança tornou mais forte e consistente. A vingança passou a ser o seu ideal principal, agora a sua vida esta direcionada em apenas um alvo vingar pela sua família que morreu de uma forma humilhante e dolorosa. Tendo ele fugido e muito ferido ele é capturado por uma tribo, e sendo vendido tornando escravo, submetendo a lutar com diversos soldados travando batalhas sangrentas chegando a lutar no coliseu, pois era a mais nova forma que os romanos tinham para seus divertimentos. Máximo sabendo que cômodo estava no poder do império, estava ele até então disposto a vingar o assassinato de sua família, mas para isso era preciso primeiramente triunfar para ganhar a confiança das pessoas que estavam a sua volta lutando por uma causa pessoal, mas de uma forma solidária levando muitos benefícios ao povo. Sabemos que tudo na vida tem um preço a ser pago, mas vale a pena lutar pelos nossos sonhos, acredito que não somente eu, aluna do curso de pedagogia, mas todos que optaram por este caminho, passam e passaram por grandes desafios, as vezes por questões familiares, financeiro, tempo, enfim, uma serie de “motivos” acontecem no intuito de fazer desistir, mas quando temos uma visão não apenas para baixo ou para os lados, mas para cima e para frente encontramos força, ao descobrirmos a importância de passamos por todas as experiências mas consequentemente, virá o triunfo,  a vitória, é realmente gratificante.

2.      Com um  olhar cinematográfico pude ampliar e enriquecer o meu olhar sobre a educação e sobre o processo escolar. Com base no filme assistido, ressalto e explico um aspecto que me levou a um olhar mais detalhado sobre a Educação ou sobre a sala de aula
Este filme mostrou-me que o império romano não era somente uma maquina de guerra, com interesses de dominação, mas sim uma ideia, uma luz no meio das trevas que assim mostra uma grande transparência na época. Momento histórico se passa num período de decadência de valores, onde a corrupção não estava infiltrada no próprio Senado, e já na maioria dos governadores de Roma, já o imperador Marcus Aurélio convivia com esta realidade, mas não compactuava, por isso buscava alguém que não estivesse contaminado com o ambiente político.
Através de um olhar investigativo observei que a escola era simplesmente uma maquina onde gerava conhecimentos, mas de forma monopolizada, em que os alunos não tinham nenhuma motivação para mostrar a eles mesmos e aos outros o seu potencial, ou seja, que eram capazes para crescer em conhecimento, simplesmente ingeria aquilo que lhe era passado sem ao menos questionar. Portanto de certa forma continuavam sem enxergar uma luz no final do túnio, pois não tinham nenhuma perspectiva futura, aprender a ler e escrever já era o suficiente para alcançar o seu objetivo. Que eram tão limitados. Isto mudou! Os sonhos cresceram devido às oportunidades ortogadas para os professores crescerem através da aprendizagem continuada, e isto serviu também para os alunos. Aonde  eles vão para a sala de aula com mais entusiasmo sabendo que ao sair dali estará levando consigo mais  conhecimentos e crescimento. Sabemos que ainda não estamos com a educação ideal, Infelizmente nas bancadas educacionais ainda encontramos “professores ou educadores” correndo em busca de seus próprios interesses, sem visar o interesse do alunado. Mas, podemos contar com aqueles que busca passar uma educação de qualidade e isto é que   faz a diferença.

NOTA

Lançado em 5 de maio de 2000, Gladiator foi um enorme sucesso de bilheteria, recebendo críticas geralmente favoráveis. O filme foi indicado a vários prêmios, vencendo cinco Oscars incluindo o de Melhor Filme.



segunda-feira, 5 de outubro de 2015


Muitas de nossas crianças especiais ainda estão fora da escola, vivem no anonimato, por falta de oportunidades. Mas, ainda podemos contar com aqueles que disponibilizam de levar um pouco de luz, para estas crianças, fazem qualquer espaço virar escola inclusiva.  O filme: O milagre de Annie Sullivan, A história mostra nitidamente o valor de uma criança especial,a dedicação de Annie, domesticar e alfabetizar uma criança onde não havia esperança de mudança. Era apenas uma prisioneira de um mundo onde a escuridão e o silêncio dominavam todo o seu ser, onde o significante inexistia enquanto tal, onde a precariedade das simbolizações comprometia radicalmente a sua condição de sujeito.
O caminho que Annie tomou para conseguir fazer a menina relacionar uma palavra soletrada em sua mão, através do tato, com o objeto em si. Esta foi uma excelente ideia. Mesmo sabendo que não seria fácil, pois gigantes obstáculos encontrariam pelo caminho, mas não desistiu! Mesmo sem apoio de alguém que pudesse auxiliá-la, permaneceu firme em seu propósito. Annie dedicou e persistiu na luta por fazer Helen abrir os olhos da alma para poder enxergar a vida com mais clareza e poder entendê-la.
Helen consegue finalmente compreender que aqueles movimentos em sua mão, que soletram W-A-T-E-R (água) era aquele líquido que ela tão bem conhecia, Ali estava à chave para solucionar o problema. Finalmente Helen teve a grande descoberta: que todas as coisas têm o nome e significado. A vida para Hellen começou a ter sentido.  Anne Sullivan não tinha nada que demonstrasse ser capaz de provocar tamanha mudança na vida de alguém como aconteceu com Helen.
Olhando para a sua história uma deficiente visual grave, que desde muito cedo passou por provações terríveis. Mas foi altamente preparada pela vida para suportar qualquer desafio. Trazia consigo apenas experiência de uma vida sofrida, e determinação para vencer os obstáculos que viessem à frente para impedir que os seus objetivos que eram desafiadores fossem alcançados.
O seu desejo era alfabetizar Hellen, uma garota cega e surda, mas como? Não tinha uma sala de aula preparada com todos os equipamentos possíveis, não tinha uma auxiliar. Estava simplesmente sozinha. Mas, por ser uma pessoa determinada venceu tudo e todos para atingir os seus objetivos. O resultado desse trabalho, que desafiou todos os conceitos e preconceitos da época, é que Helen não apenas aprende a “falar”, mas, a partir daí significa e subjetiva toda sua vida, tornando-se uma escritora.  A leitura é algo fantástico! Hellen mesmo sem enxergar, sem ouvir e sem falar. Enxergou a luz através da leitura. E começou de fato a viver.
Infelizmente, muitas de nossas escolas não assumem o seu verdadeiro papel de escola inclusiva, a criança apenas passa por lá, não fica. Muitas mães saem de porta em porta em busca de uma escola que venha corresponder com as necessidades de seu filho. Quando encontra, já fica na expectativa e tensão acerca das futuras reuniões, e caderninhos de recados, onde reclamações e reclamações partem de gestores, profissionais e professores despreparados para tal função.
Tocar o coração das pessoas é algo fantástico, principalmente no que refere a uma criança, especialmente uma criança especial, que precisa de carinho, amor, afeto, compreensão, dedicação e respeito.  Não é difícil, às vezes basta um sorriso, um aperto de mão, um oi, ou quem sabe uma atenção maior para que ela possa entender que tem um valor, que é importante para a sociedade, escola e principalmente a família.  Ser especial é ser diferente, mas, porem é esta diferença que trás brilho e riqueza ao mundo e a vida.
Hoje se fala da possibilidade de inclusão, porém com maior número de pessoas defendendo a separação em salas especiais - ensinos contra turno alternativos ou escolas especiais. É fundamental pensar e refletir na afirmação de Einstein: “É mais fácil quebrar um átomo do que um preconceito”.
Há escolas que mantém apenas a primeira fase do Ensino fundamental e outras que já iniciam apenas na segunda fase (hoje sexto ano ao nono ano) e isto indica que passados 39 anos após a LDB a sociedade ainda não assimilou o Ensino Fundamental como um curso integrado de 9 anos. Muita coisa mudou, não há mais “Vestibulinho” para passar da primeira fase para a segunda, no entanto quase tudo continua na mesma: professores com ensino médio para a primeira fase, ensino superior para a segunda – professores polivalentes para a primeira e especializada (matemática – português etc...) para a segunda.
Escolas que não aceitam a aceleração de superdotados em nome de uma “possível imaturidade”, e outras políticas pedagógicas que ainda são matérias de controvérsias e lutas de educadores, alunos e familiares.

INCLUSÃO, SEM BARREIRAS, SEM FRONTEIRAS, SEM LIMITES, INCLUSÃO COM PONTES FIRMES, SEM CAIR NO RISCO DO PRECONCEITO.