sábado, 5 de março de 2011

BRINCADEIRAS, EDUCAÇÃO E CUIDADO



 A pedagogia eficaz esta presente no cuidar, educar e brincar, pois, estes são fatores fundamentais e inseparáveis, é imprescindível  que andem juntos para o desenvolvimento da criança. Hoje as Instituições estão valorizando as brincadeiras. Não muito tempo atrás as Instituições não davam seu devido valor o preconceito estava presente  entre os pais e sociedade, pois para eles brincadeiras nas escolas eram passa tempo  e perca de tempo. Não conseguia extrair dali algo positivo.
Hoje as Instituições estão atentas a este fator tão importante na vida das crianças, pois além do prazer e alegria que a atividade lúdica promove desperta interesse de aprendizagem e os próprios adultos também tem sido beneficiados pelo fato de ver o retorno positivo que as brincadeiras tem proporcionado.
São através das brincadeiras que elas são motivadas a pensar, e valorizar a si própria acreditando no seu potencial. Aprender brincando é uma das maneiras mais fácies e agradáveis. Isentar as brincadeiras na educação da criança é desvalorizar a sua verdadeira essência.  é matar a oportunidade que ela tem de crescer saudável e feliz.
Sabendo que, nenhuma criança é igual a outra, cada uma tem sua vida e sua particularidade, problemas, dificuldades e desafios diferentes  que são apresentados pelos adultos em seus lares e sociedade, mas todas tem algo em comum o desejo de brincar e continuar brincando. E as brincadeiras tem o “poder” de transformar aquelas crianças tristes em  crianças alegres, elas pulam, correm, brincam, gritam, conversam, lutam, enfim, brincadeiras que deixam livres e soltas para a vida.
As brincadeiras transmitem a criança imaginação, a criatividade, a
fantasia, o desenvolvimento motor, a interação social, a produção de cultura, o aprendizado de regras, o valor da vida, da interação, da amizade, do respeito, obediência, amor ao próximo, responsabilidade, conhecimento e desenvolvimento.
A criança cresce e desenvolve-se em um ambiente que tem a sua cara, um mundo de cores, fantasias e brincadeiras.
      
Brincar é, sem dúvida, uma forma de aprender, mas é muito
mais que isso. Brincar é experimentar-se, relacionar-se,
imaginar-se, expressar-se, compreender-se, confrontar-se,
negociar, transformar-se, ser. Na escola, a despeito dos
objetivos do professor e de seu controle, a brincadeira não
envolve apenas a atividade cognitiva da criança. Envolve a
criança toda. É prática social, atividade simbólica, forma de
interação com o outro. Acontece no âmago das disputas sociais,
implica a constituição do sentido. É criação, desejo, emoção,
ação voluntária (Fontana & Cruz, 1997, p. 139).



  video